pernambucano

"A gente espera que a Justiça seja feita", diz presidente do Santa Cruz sobre decisão do Pernambucano

Presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior, apontou falta de coerência da FPF na questão do mando de campo no Pernambucano

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 29/07/2020 às 11:53
Notícia

LEO MOTTA/ JC IMAGEM
Constantino Júnior concedeu entrevista à Rádio Jornal - FOTO: LEO MOTTA/ JC IMAGEM
Leitura:

O presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior, voltou a criticar a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) pela forma de conduzir a reta final do Campeonato Pernambucano e optar por "critérios seletivos" em relação aos estádios que receberão as partidas da competição. Em entrevista ao programa Bate Rebate, da Rádio Jornal, o mandatário disse que o tricolor cumpre todas as medidas do protocolo do futebol, mas revelou falta de coerência no tratamento das equipes por parte da entidade.

A FPF marcou a semifinal entre Santa Cruz e Náutico nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena de Pernambuco, equipamento autorizado para receber as partidas finais de acordo com o protocolo do governo do Estado. A diretoria coral acionou a Justiça para transferir o mando de campo para o Arruda. Teve o pedido negado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco (TJD-PE) e recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça Desportiva. A decisão ainda não foi anunciada pela entidade . 

Constantino alega que há critério seletivo na questão dos mandos de campo e aponta como exemplos as partidas entre Sport e Vitória, pela luta contra o rebaixamento, na Ilha do Retiro, e Salgueiro e Afogados, no Cornélio de Barros. 

"A gente está esperando que a Justiça seja feita. Nosso time está preparado para jogar onde quer que seja. Só não pode passar isso para dentro de campo. Nossa preocupação é essa. A gente entende que o fato de jogar no Arruda vai dar uma condição de estar dentro de casa, questão de respeito. Porque acontece o seguinte: se fosse combinado de todos os jogos serem na Arena, o Santa Cruz jamais deixou de cumprir qualquer protocolo. Não pode ser seletivo. O jogo do Salgueiro joga em Salgueiro. O do Sport joga na Ilha (do Retiro). Então vou tirar o Santa do Arruda. É essa falta de coerência que a gente tem questionado. O Santa tem cumprido todo os protocolos. Fizemos 7 testes. É uma falta de coerência e de critério seletivo. O Santa Cruz respeitou muito a competição. Fez 25 pontos de 27 possíveis e acaba sendo penalizado", argumentou.

O mandatário ainda explicou que houve uma reunião por videoconferência e o Santa Cruz concordou com o protocolo, mas destacou que todos os clubes deveriam cumprir e jogar no mesmo estádio. "Existiu uma videoconferência e o Santa Cruz deixou bem claro que se todos os jogos fossem na Arena o Santa Cruz jogaria lá. Eu estou muito tranquilo que a gente defendeu nosso direito de jogar em nossa casa. Se todos os jogos fossem na Arena, mas é um processo seletivo, é jogo sim e jogo não. Não pode", comentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias