Eleição coral

Pro Santa entra com pedido de impugnação da chapa de situação do Santa Cruz

De acordo com grupo oposicionista, a chapa de situação apresenta diversas irregularidades na sua formação, como a presença de nomes duplicados ou que já estavam inscritos em outras chapas

Klisman Gama
Cadastrado por
Klisman Gama
Publicado em 29/01/2021 às 20:28 | Atualizado em 29/01/2021 às 20:28
DIVULGAÇÃO
Mário Godoy (E), André Frutuoso (C) e Joaquim Bezerra (D) são os líderes da oposição do Santa Cruz - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A eleição no Santa Cruz ganha novos capítulos até sua realização. Desta vez, depois de já ter prometido que entraria com o pedido, o Pro Santa protocolou a tentativa de impugnação da chapa de situação no pleito do Mais Querido. De acordo com os oposicionistas, diversas irregularidades foram encontradas no processo de inscrição do grupo que, atualmente, gere o clube. O principal fato se dá pela troca de vários nomes na chapa lançada, logo após ela ser efetivada. Mas o Pro Santa também reclama de que houve nomes em duplicidade, outros que estão inscritos com eles, na oposição, e pessoas que não deram autorização ao grupo de situação para que estivessem nessa lista.

"Isso está entregue ao departamento jurídico do Pro Santa. Todas as vezes em que se faz um movimento brusco desse, onde você inscreve uma chapa para garantir o prazo, e no dia seguinte você muda a chapa toda, até porque foi inscrita com pessoas que sequer autorizaram seus nomes, é algo a ser tratado com muito cuidado. O Santa Cruz precisa ser tratado com respeito e dignidade. A gente entende que esse tipo de atitude descredencia e queima a imagem do clube. Entregamos o caso ao departamento jurídico do Pro Santa para tomar as medidas cabíveis do que pode ser feito. O que a gente quer ver é uma eleição limpa, como a gente sempre propôs", contou o candidato à presidência pelo Pro Santa, Joaquim Bezerra, em entrevista à Rádio Jornal.

Em discurso contrário, a situação afirma que a troca na chapa está dentro da legalidade, pois aconteceu por nomes que já estavam inscritos nela para a eleição. Além da alteração em que Roberto Freire, ex-membro do núcleo de gestão do Santa Cruz, se torna postulante a presidente do executivo, enquanto que Osmundo Bezerra, que ocupava esse cargo antes, passa a ser o vice na chapa, posto antes ocupado por Ítalo Mendes, diretor do núcleo de gestão coral. Paulo Borba, atual comandante do Conselho Deliberativo, tentará a reeleição. O candidato ao órgão era Sérgio Goiano. Na Comissão Patrimonial, Francisco Buarque segue como postulante a liderar o "terceiro" poder do Tricolor do Arruda.

De acordo com o estatuto coral, no que tange ao processo de inscrições de chapas, o clube tem cinco dias para verificar se os candidatos cumpriram os requisitos impostos para concorrer. Se o pedido da oposição for acatado, então a situação terá mais 24h para apresentar as devidas substituições. Se o registro for negado novamente, a chapa não poderá participar do pleito.

Comentários

Últimas notícias