RESULTADO

Com aprovação em queda, está difícil estancar o desgaste de Bolsonaro

O governo contava com 33,5% de manifestações positivas em abril, porém, até ontem (13) o apoio recuou para 1,8%

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 14/05/2021 às 7:00
Notícia
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia para o anúncio de investimentos para o Programa Águas Brasileiras. - FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Esta semana comprova que os governistas não estão dando conta de estancar o desgaste de Jair Bolsonaro nem nas redes sociais, arena onde o presidente e seus apoiadores quase sempre mantiveram a prevalência. O governo contava com 33,5% de manifestações positivas em abril, porém, até ontem (13) o apoio recuou para 1,8%. Os índices de aprovação do presidente estão acima desse patamar, mas a trajetória de queda é similar: o apoio recua de 36,7% para 26,3%. É o que indica levantamento exclusivo feito pela .MAP, agência de análise e dados de mídia.

Bad news

A queda no apoio é ancorada por uma agenda negativa, que os perfis de direita, entre manifestantes, políticos e influenciadores, não conseguiram reverter.

 Nesta semana, os reflexos da ação policial no Jacarezinho, a CPI da Covid, o churrasco com a "picanha de ouro" e o "tratoraço" pressionaram negativamente o governo.

Tiro CPI e trator

O índice de positividade da ação policial no Jacarezinho foi de 23% no período, com apoio somente do público de direita. O tema foi o mais comentado nas redes sociais, com uma participação de 15,6%.

A CPI da Covid foi o terceiro tema mais comentado no período, com participação de 7%, tendo um índice de positividade elevado: o trabalho dos governistas na comissão não vem surtindo muito efeito.

O "tratoraço", revelado pelo Estadão, foi o quarto assunto mais comentado no Twitter e perfis abertos do Facebook, com participação de 6%. Já o caso da picanha concentrou 2% das menções nas redes sociais no mesmo período.

Não será a vacina

Líderes da oposição estão convencidos de que o governo, por ora, permanece imune e insensível a qualquer atraso a remessas de matérias-primas para a produção das vacinas contra a covid-19 produzidas pela China.

A conversa mudaria de rumo se houvesse retaliações dos chineses sobre as exportações do agronegócio do País.

Passando a boiada Arthur Lira parece decidido em seguir à risca a cartilha dos bolsonaristas.

Não entendi

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou a insistência de Jair Bolsonaro em defender o nome de Tarcísio Freitas para disputar o Palácio dos Bandeirantes.

Cadê?

O deputado estadual Gil Diniz, do mesmo partido que ela, reagiu: "Apresenta um nome, então, vai só criticar o nome colocado pelo presidente? Ela teve dois milhões de votos, mas parece que tem outros planos..."

Missão

Consultada, Janaína disse que não está interessada em disputar o governo, mas que muitos eleitores pedem a ela para encarar "a missão". A deputada ora bate, ora assopra o governo Bolsonaro.

Polo alternativo

Vereadores do PSDB da capital paulista vão tomar café da manhã com Geraldo Alckmin hoje, 14, dia em que Rodrigo Garcia assinará sua filiação ao partido tucano.

O movimento dos vereadores paulistanos indica que o ex-governador do Estado, se ficar no partido, se manterá como um contraponto ao grupo de João Doria e de Garcia dentro do PSDB. (COLABORARAM PAULA BONELLI E PEDRO VENCESLAU)

PRONTO, FALEI!

Antonio Neto - Presidente municipal do PDT de São Paulo

"Ao prestar o lamentável papel de defender o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, a AGU mostra que virou a Advocacia dos Genocidas da União."

Comentários

Últimas notícias