COLUNA DO ESTADÃO

Economia já é nova ‘vilã’ para Bolsonaro

O avanço da vacinação no País e o consequente arrefecimento da pandemia trouxeram más notícias para Bolsonaro, os brasileiros agora voltam suas aflições para a inflação, o desemprego e seus perversos derivados

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 01/09/2021 às 7:00
Notícia
EVARISTO SA / AFP
Presidente Jair Bolsonaro - FOTO: EVARISTO SA / AFP
Leitura:

O avanço da vacinação no País e o consequente arrefecimento da pandemia trouxeram más notícias para Jair Bolsonaro, diferentemente do que muitos imaginavam: os brasileiros agora voltam suas aflições para a inflação, o desemprego e seus perversos derivados. Segundo a mais recente pesquisa Genial/Quaest, antecipada com exclusividade para a Coluna, a economia já é o principal problema para 21% dos entrevistados, atrás apenas da saúde, 28%. O pessimismo aumentou sete pontos porcentuais: 32% acham que o cenário econômico vai piorar.

Fase...

A avaliação de Bolsonaro também segue tendência desfavorável para o presidente: 48% têm opinião negativa sobre o governo, quatro pontos porcentuais a mais do que na rodada anterior da pesquisa.

...ruim

A situação de Bolsonaro piorou em todas as regiões do País e em todos os segmentos, inclusive entre os evangélicos. A pesquisa de setembro da Genial/Quaest será divulgada nesta quarta-feira, 1º.

Pressa

O levantamento também não traz boas notícias para o centro. Os nomes testados seguem padecendo com o desconhecimento ou mantêm alta rejeição, como os de João Doria (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Lula se consolida na liderança dos cenários, seguido por Bolsonaro.

Dados

A coleta dos dados da pesquisa foi realizada por meio de entrevistas feitas face a face, com a aplicação de questionários estruturados para 2 mil pessoas em 95 municípios, entre 26 e 29 de agosto.

Pausa

Em pré-campanha, Lula deve adiar a viagem a Minas Gerais, prevista para este mês: recebeu convite do governo do presidente López Obrador para uma visita ao México.

Eu acredito

A despeito do momento desfavorável, Bolsonaro mostrou que ainda tem cartas na mão e fichas na mesa ao brecar o manifesto da Fiesp e rachar a Febraban. No entorno de Ciro Nogueira (Casa Civil), o sentimento destoa do cenário das pesquisas: é de otimismo (veja abaixo). A leitura é de que a economia vai se assentar em 2022 e Bolsonaro se recuperará.

Impasse

Ruídos entre autoridades municipais de São Paulo e os organizadores do ato contra Bolsonaro no Vale do Anhangabaú marcaram as últimas reuniões de preparação do protesto do 7 de Setembro.

Impasse 2

A mobilização no 7 de Setembro será o primeiro grande ato no local após a assinatura da concessão do Vale à iniciativa privada, em julho.

Se liga

Representantes foram alertados: organizadores podem ser responsabilizados em caso de depredação dos 11 quiosques, agora equipamentos privados. Esse tipo de exigência não ocorre para atos marcados em espaços públicos.

Aí não

Os organizadores se comprometeram a cumprir as exigências burocráticas para realizar o ato, mas não assinaram nenhum termo sobre os quiosques.

Pegou a veia

Do criminalista Sérgio Rosenthal: "Os diuturnos ataques ao STF constituem não apenas estratégia destinada a encobrir a ausência de um debate construtivo sobre reais problemas do País, como uma tentativa de enfraquecer os Poderes da República e impor um governo de cunho autoritário".

* Com Matheus Lara

BOMBOU NAS REDES

Ciro Nogueira (PP-PI)

Ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro

"A pandemia nos impôs grandes desafios, mas o trabalho dedicado nos permite olhar para frente com otimismo, confiantes na consolidação do crescimento."

Comentários

Últimas notícias