AUXÍLIO EMERGENCIAL

Pernambuco já registra em média 30 chamados diários para conter tumultos e agressões em filas de banco

Hoje, o governo do Estado, através do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), passou a reforçar o policiamento no entorno das agências da Caixa

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 04/05/2020 às 20:05
Lucas Moraes/JC
Fila mais organizada na agência da Caixa Econômica Federal do bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife - FOTO: Lucas Moraes/JC
Leitura:

Em meio ao mar de gente que tem buscado atendimento nas agências da Caixa Econômica Federal em Pernambuco, nas últimas semanas não tem sido incomum cenas de empurra-empurra e bastante tumulto para conseguir desde informação até o saque do auxílio emergencial disponibilizado pelo governo federal. Na porta das agências, pela necessidade, as pessoas têm colocado em risco a própria vida, seja por conta da pandemia do novo coronavírus ou até mesmo agressões e discussões nas filas. No Estado, em média, a Secretaria de Defesa Social (SDS) já contabiliza 30 acionamentos diários para conter tumultos, desordens, agressões ou ameaças em situações de fila de banco. 

Nesta segunda-feira (4), o governo do Estado passou a reforçar a presença policial noas arredores das principais agências da Caixa, após decisão do Tribunal Federal da 5ª Região (TRF-5), no último fim de semana, determinando o apoio do poder público no ordenamento das filas na Caixa. 

As ações de policiamento, além da atuação de agentes da CTTU e das guardas municipais dos municípios, têm se concentrado no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR). Hoje, para evitar aglomerações, tiveram início ações que vão desde o bloqueio de ruas ao fortalecendo do policiamento a pé e o patrulhamento motorizado.

Embora a SDS reconheça que a organização das filas e do fluxo de clientes, dentro e fora das agências, compete ao quadro de funcionários da Caixa, o órgão passou a reforçar o apoio policial nos horários de abertura e fechamento das unidades bancárias, com reforço a depender da situação ao longo do dia. Os gerentes das unidades bancárias também estão interligados aos comandantes de batalhões de área para facilitar o acionamento em casos necessários.

Ações da prefeitura

Especificamente no Recife, a prefeitura também colocou à disposição da Caixa, a partir de hoje, 240 profissionais para ajudar no controle do fluxo nas agências de Afogados, Boa Vista, Casa Amarela, Cordeiro, Encruzilhada, Engenho do Meio, Imbiribeira, e Santo Antônio. A ação tem como objetivo evitar a propagação do novo coronavírus entre a população que está em busca do auxílio emergencial, e contou com a participação de Guarda Municipal, da CTTU e de orientadores, que buscam manter um distanciamento minimamente seguro entre as pessoas que estão nas filas. 

Nesta segunda, a Caixa chegou ao número total acima dos 920 mil saques. De forma geral, já foram pagos R$ 35, 5 bilhões a 50 milhões de beneficiários. Para receber a primeira parcela, pelo menos 6 milhões de cadastros ainda estão em análise e 12 milhões seguem inconclusivos, sem prazo para definido para atualização da situação, pelo banco, após o recadastramento. 

Nas agências da Caixa, 30 mil funcionários trabalham em função do pagamento do auxílio, e a maioria dos empregados que estavam em sistema de home office já está retornando ao trabalho, com exceção de quem faz parte do grupo de risco. O banco também contratou no último fim de semana, um total de 3 mil novos funcionários para atendimento e segurança nas agências, que estão abrindo diariamente das 8h às 14h - ou até o último cliente da fila, conforme garante o presidente da Caixa. 

 

 

 

 

Comentários

Últimas notícias