Caso Miguel

Polícia investiga falsa vaquinha virtual criada em nome de Mirtes, mãe de Miguel

Na tarde desta quarta-feira (8), Mirtes formalizou a queixa, denunciando o golpe, na Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos

Ciara Carvalho
Ciara Carvalho
Publicado em 08/07/2020 às 20:43
WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Mirtes, mãe de Miguel, deu entrevista à TV Jornal - FOTO: WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:

A Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos está investigando o perfil falso que fez uma vaquinha virtual no Instagram em nome de Mirtes Souza, mãe do menino Miguel Otávio Santana da Silva, 5 anos. Na tarde desta quarta-feira (8), ela formalizou a queixa e conversou com o delegado Eronides Meneses, titular da delegacia. Segundo a polícia informou à Mirtes, o perfil ainda teria conseguido arrecadar cerca de R$ 2.140,00.

>> Caso Miguel: Sarí é indiciada por abandono de incapaz e pode pegar de 4 a 12 anos de reclusão se condenada

>> O desabafo de Mirtes, após conversa com Sarí: "A máscara dela caiu"

>> No elevador, Sarí Corte Real apertou botão da cobertura, diz perícia do IC

A Polícia Civil vai solicitar ao Instagram e ao site que veiculou a campanha os dados do responsável por criar o perfil falso. A mensagem, em nome de Mirtes, pedia ajuda aos internautas para que ela pudesse construir uma casa própria.

"Hoje, venho pedir um pouco da ajuda de vocês. Eu trabalhava de diarista, com o sonho de construir minha própria casa. mas ainda não consegui arrecadar o valor, então venho pedir a todos vocês que puderem me ajudar a realizar o meu sonho de ter a minha casa própria", diz um trecho da falsa mensagem postada no instagram.

Mirtes Souza descobriu na manhã da terça-feira (7), quando foi avisada por vizinhos e conhecidos sobre a campanha. "Conseguimos prestar a queixa e a polícia agora vai tentar descobrir quem está se aproveitando da minha dor para dar um golpe na internet", afirmou.

Mirtes, que já tem casa própria, fez questão de reafirmar e deixar claro que nunca fez nem autorizou qualquer tipo de vaquinha virtual em seu nome. "Quando eu soube, chega fiquei assustada. Porque isso é uma fraude. É golpe. Agora a polícia vai descubrir quem está fazendo isso em meu nome", disse Mirtes.

INSTAGRAM RACKEADO

Mirtes já havia denunciado, na semana passada, que o seu instagram, usado agora para o pedido de vaquinha virtual, havia sido hackeado e todas as fotos de Miguel tinham sido apagadas.

Ela contou que já descobriu pelo menos cinco perfis falsos no Instagram, que foram criados usando o nome e fotos dela. "Dois continuam ainda com as mesmas informações. Outros trocaram o nome e as fotos. Fico muito triste que haja pessoas de má fé, tentando usar a minha dor para dar golpe na internet", lamentou.

Comentários

Últimas notícias