PANDEMIA

Índices altos da covid-19 em dezembro desaconselham festas de fim de ano

Em apenas 18 dias de dezembro, número de pessoas infectadas no Estado já superou o total do mês de setembro, outubro ou novembro

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 19/12/2020 às 0:28
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Nas últimas 24 horas, o País registrou 37.948 novas ocorrências da doença notificadas - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Com o aumento de casos do novo coronavírus (covid-19) registrado nas quatro últimas semanas epidemiológicas, Pernambuco já superou, em apenas 18 dias de dezembro, o número de pessoas infectadas nos meses anteriores inteiros desde setembro. Nessa sexta-feira (18), o Estado registrou 1.765 confirmações laboratoriais, totalizando 21.003 casos da doença somente neste mês.

>> Brasil registra 823 mortes por covid-19 em 24 horas, total chega a 185.650

>> Câmara barra termo de consentimento para quem se vacinar contra covid-19

>> Carnaval de 2021 é oficialmente suspenso em Pernambuco

Em setembro, foram 19.884 registros oficiais de pessoas infectadas pela covid-19. Em outubro, os números caíram e Pernambuco confirmou 15.021 diagnósticos. Já no mês de novembro, os indicadores voltaram a subir, somando 19.429 novos casos.

Entre os confirmados ontem pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), 48 (2,7%) desenvolveram quadros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a forma mais séria da doença, enquanto 1.717 (97,3%) apresentaram sintomas leves. Agora, Pernambuco totaliza 205.262 casos confirmados da doença, sendo 28.825 graves e 176.437 leves.

O último boletim registrou 22 novas mortes por covid-19, ocorridas entre os dias 09 de novembro e 17 de dezembro. O Estado já soma 9.383 vidas perdidas para o vírus desde o início da pandemia.

Os novos óbitos registrados ontem são de pacientes com idades entre 33 e 94 anos. Dos 22, 11 são homens e 11 mulheres. As novas mortes são de pessoas residentes dos municípios de Buíque, Carnaíba, Jaboatão dos Guararapes, Lajedo, Mirandiba, Olinda, Pesqueira, Recife e Terra Nova.

Do total, 18 tinham doenças pré-existentes, como diabetes, hipertensão, doença cardiovascular, doença respiratória, obesidade, doença renal, tabagismo, câncer, doença neurológica, etilismo e imunossupressão. Os demais óbitos estão em investigação.

ALERTA

Em pronunciamento na quinta-feira (17), o secretário de saúde de Pernambuco, André Longo, afirmou que o Estado vê os números com preocupação. Segundo ele, a semana epidemiológica 50 teve aumento de 2,5% no número de casos em relação à 49 e de 8,9% em relação aos últimos 15 dias. "Observamos novo crescimento, confirmando quatro semanas seguidas de alta e clara tendência de recrudescimento dos indicadores. Voltamos a patamares vistos no final de setembro e início de outubro", pontuou.

O secretário ainda destacou que houve aumento da demanda por leitos. "Permanece alta a solicitação na Central de Regulação de Leitos, o que nos preocupa. Na semana 50, o aumento foi de 1% em relação à semana anterior."

O Estado tem atualmente 1.789 leitos para pacientes com Srag. Desses, 77% estão ocupados. Do total de vagas na rede pública, 910 são para terapia intensiva, cuja ocupação está em 82%. Já entre os leitos de enfermaria, que são 879, a taxa de ocupação é de 73%.

Com o aumento da demanda, na última semana o governo precisou reabrir cerca de 160 novos leitos em todo o Estado. Ainda assim, a taxa de ocupação em leitos de UTI, destinados aos pacientes mais graves, não baixou da casa dos 80%.

"De nada vai adiantar os esforços se a população não fizer parte da luta e incorporar ao cotidiano o que temos dito esse tempo todo sobre distanciamento, evitar aglomerações, lavar frequentemente as mãos e fazer uso de álcool em gel e da máscara", afirmou Longo.

Com aumento de casos e ainda sem o início da vacinação, o governo de Pernambuco anunciou, na quinta-feira, a suspensão do Carnaval em 2021. O estado de calamidade também foi prorrogado pelos próximos seis meses, de 1º de janeiro a 30 de junho.

Para reforçar os atendimentos aos pacientes, está prevista, para a próxima semana, a convocação de 900 profissionais da área da saúde que realizaram seleção pública para reforçar as unidades hospitalares. Ao todo, já foram nomeados 3.063 profissionais para o combate à pandemia do novo coronavírus.

 

Comentários

Últimas notícias