TRÂNSITO

Mais um ciclista morre vítima de atropelamento no Recife em pleno Natal

Ocorrência foi na Linha do Tiro, Zona Norte do Recife. Motorista que causou o acidente, um sargento do Exército, estava embriagado e foi preso e autuado por homicídio de trânsito com dolo

JC
JC
Publicado em 26/12/2020 às 9:11
Notícia

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Ciclista foi atropelado na Linha do Tiro. Imagem ilustrativa - FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Leitura:

Mais um clicista é vítima da imprudência de motoristas no trânsito. Marcos da Silva Alves, 32 anos, morador do Córrego do Sargento, na Linha do Tiro, Zona Norte do Recife, foi atropelado e acabou morrendo na madrugada de sexta-feira (25). O responsável pelo atropelamento, um sargento do Exército, acabou preso e autuado em flagrante por homicídio de trânsito com dolo eventual. Segundo a Polícia Militar, ele estava "supostamente embriagado".

Leia: Um ousado plano para a bicicleta no Recife

O acidente aconteceu na Avenida Uriel de Holanda, principal rua da Linha do Tiro. Policiais militares do 11º BPM prenderam o sargento. "O efetivo foi acionado por um soldado do BPGD que, para impedir o linchamento do suspeito por populares, revoltados com a situação, o retirou do local. Posteriormente, ele foi encaminhado para a Central de Plantões da Capital e autuado em flagrante por homicídio de trânsito com dolo eventual", explica a PM, por meio de uma nota.

"Por ser sargento temporário do Exército, todo o procedimento foi acompanhado por um sargento daquela Corporação Militar Federal", diz ainda a nota.

Marcos, conhecido como Batata, foi socorrido para a UPA de Nova Descoberta, mas não resistiu. De acordo com o perfil Sargento_perifa, um coletivo da comunidade do Córrego do Sargento no Instagram, Marcos era filho único. Também "tímido, sempre foi um trabalhador admirado pelos moradores por seu respeito, garra e força de vontade", destaca o perfil.

O perfil diz ainda que segundo testemunhas, o policial dirigia em alta velocidade e estava com sinais de embriaguez. "Mais um pobre morto nas estatísticas mas o PERIFA quer Justiça. Qual será a pena aplicada ao suspeito? Qual assistência que a família terá? Será que o cargo que o suspeito ocupa lhe trará algum privilégio na hora da pena?", questiona a publicação, que usou a hastag #justicapormarquinhos.

Comentários

Últimas notícias