ORLA

Vazamento de esgoto afasta turistas da praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca, no Grande Recife

De acordo com barraqueiros que trabalham na área, a cena é comum em dias de chuva

Danielle Santana
Danielle Santana
Publicado em 15/02/2021 às 16:06
Notícia

Cortesia
Nas filmagens, é possível observar que o esgoto vai direto para o mar - FOTO: Cortesia
Leitura:

Atualizada às 14h53 da terça-feira (16)

Um vazamento de esgoto chocou quem passou por Porto de Galinhas, em Ipojuca, Grande Recife, na manhã desta segunda-feira (15). Um vídeo registrado por uma turista que estava no local mostra o momento em que o líquido escorre pela orla da praia. Nesta terça-feira (16), os barraqueiros do local tentavam contornar os estragos causados pelo vazamento.

Nas filmagens, é possível observar que o esgoto vai direto para o mar. A turista Vitória Barros relatou a situação. "Vi essa cena indignada, essa praia é conhecida internacionalmente e é um tesouro da gente. A praia não estava muito cheia, mas tinha bastante gente. Eu vim para passar o feriado de Carnaval com a minha família e todos os dias estamos indo nessa parte da praia, mas depois do que vi não tive coragem de entrar no mar".

Vitória afirma que a força com que o esgoto foi derramado assustou quem passou pelo local. "Os barraqueiros já tinham colocado as cadeiras quando começou a vazar. A força era tanta que se tivesse alguém na frente seria arrastado para o mar. Quando eu saí de lá, ainda estava vazando", contou. 

O vazamento dessa manhã aconteceu na entrada da cidade, na altura do antigo posto de saúde do município. De acordo com barraqueiros que trabalham na área, a cena é comum em dias de chuva. "Sempre que chove forte isso acontece, no outro dia fica o rastro na praia e o mau cheiro", afirmou um dos trabalhadores que preferiu não se identificar. 

Cerca de dez barraqueiros trabalham na faixa de areia que costuma ser atingida pelos vazamentos. Eles relatam que o fato atrapalha nas vendas das barracas e afasta o turista. "Eles reclamam com a gente e vão para o outro lado. Porque, quando acontece, o esgoto vai direto para o mar, eles não conseguem ficar nessa parte da praia e nós ficamos sem ter como trabalhar", comentou. 

Confira o vídeo do momento:

Resposta da Prefeitura de Ipojuca

Por meio de nota, a Prefeitura de Ipojuca afirmou que o problema ocorreu por causa do volume de chuva associado à falta de saneamento básico na praia de Porto de Galinhas, processo que, segundo a gestão, se encontra judicializado desde a gestão anterior. 

Leia a íntegra da nota

A Prefeitura do Ipojuca informa que, por causa do volume de chuva caído nas últimas 6 horas (74,94mm), associado à falta de saneamento básico na praia de Porto de Galinhas (processo que se encontra judicializado desde a gestão do ex-prefeito Carlos Santana), provocou um extravasamento das manilhas de escoamento pluvial. A gestão municipal, através da Secretaria de Infraestrutura, realizou a desobstrução do lixo lançado nas ruas que entopem as galerias e a drenagem das canaletas para evitar novos rompimentos caso a chuva no município permaneça.

Retomada

Um dia após o vazamento, a situação na praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca, no Grande Recife, amanheceu mais tranquila nesta terça-feira (16). No entanto, moradores e trabalhadores da região, no entanto, denunciam que a gestão municipal não age em prol de resolver o problema, mas apenas de minimizá-lo. 

"Hoje aqui está sem escorrer água, mas a cratera está profunda. A prefeitura não faz nada, sempre falam as mesmas coisas [sobre a desobstrução dos canais], mas se chover cinco minutos volta a entupir e a escorrer o esgoto. Estou aqui há 27 anos e nada mudou, é sempre a mesma coisa. Eles não têm nem a capacidade de passar uma pá mecânica para deixar a área plana e cobrir o bueiro", revelou um barraqueiro que preferiu não se identificar.

Para tentar abafar o mau cheiro gerado pelo escorrimento do esgoto que ocorreu na segunda, trabalhadores tiveram que cobrir com areia o caminho pelo qual o líquido passou. Uma forma encontrada por eles para amenizar a má aparência e odor do local, facilitando a chegada de turistas. Segundo eles, a gestão municipal, por sua vez, não tomou providências neste sentido.

 

Comentários

Últimas notícias