FISCALIZAÇÃO

Cerca de 1700 policiais serão enviados aos municípios do interior de Pernambuco para garantir cumprimento das novas restrições de combate à covid-19

O plano de fiscalização sanitária anunciado nesta quinta-feira (25), contará com o reforço de bombeiros e policiais militares e policias civis

Danielle Santana
Danielle Santana
Publicado em 25/02/2021 às 18:10
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
De acordo com o secretário de Defesa Social do Estado, o objetivo é que as ações sejam realizadas de forma integrada nos municípios - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Durante a validade do decreto que suspende o funcionamento de atividades econômicas e sociais não essenciais em três regiões do Estado, as cidades onde as restrições são válidas contaram com um reforço na segurança. A mudança acontece com o objetivo de garantir o cumprimento da medida e evitar aglomerações. No total, serão enviados 1.690 policiais que atuarão nos 63 municípios pernambucanos até o dia 10 de março.  

De acordo com o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua, o plano de fiscalização sanitária contará com o reforço de bombeiros e policiais militares e policias civis. O objetivo é que as ações sejam realizadas de forma integrada nos municípios. "Existe uma previsão no decreto de restrição de horário no funcionamento dos estabelecimentos, então nosso objetivo é fazer a fiscalização juntamente com o poder público e municipal local", informou o secretário.

Pádua informou ainda que, durante esta quinta-feira (25), uma reunião que contou com a participação de representantes dos poderes municipais das localidades e das forças de segurança das cidades foi realizada.

O secretário reforçou que quem for pego descumprindo o decreto estadual poderá ser penalizado pela ação. "Estaremos fiscalizando os restaurantes e os bares que estarão funcionando nos municípios e eventualmente em desacordo com o decreto poderão os proprietários ou responsáveis serem conduzidos para as delegacias em razão de descumprimento de medidas sanitárias obrigatórias", afirmou. 

No entanto, Pádua reforçou que a intenção é realizar a orientação da população. "Nosso objetivo é realizar a orientação e trazer a responsabilidade para a população, mas medidas duras podem ser tomadas por parte das forças policiais integradas em razão de eventual descumprimento das medidas sanitárias", completou. 


Comentários

Últimas notícias