ABASTECIMENTO

Após fortes chuvas, rodízio de água é suspenso em 42 bairros do Recife; confira quais

Precipitação possibilitou o abastecimento dos sistemas integrados de Pirapama e Tapacurá. Barragem de Pirapama, localizada no Cabo de Santo Agostinho, atingiu 96.26% de acumulação

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 18/05/2021 às 9:16
Notícia
AGÊNCIA BRASIL
Desde essa segunda-feira (19), 120 mil pessoas que moram em áreas planas da Zona Norte da capital pernambucana, foram retirados do esquema de rodízio de água - FOTO: AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

O Governo do Estado e a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciaram, nesta terça-feira (18), que cerca de 500 mil pessoas que moram em diversos bairros do Recife não precisarão mais passar pelo rodízio de água a partir da próxima segunda-feira (24). Isso acontece devido às fortes chuvas que caíram entre a última quinta (13) e a sexta-feira (14) na Região Metropolitana do Recife, que possibilitaram o abastecimento dos sistemas integrados de Pirapama e Tapacurá.

Serão beneficiados 42 bairros: Engenho do Meio, Cidade Universitária, Várzea, Torrões, Roda de Fogo (parte), Cordeiro, Bomba Grande, Iputinga, Brasilit, Caxangá, Detran, Monsenhor Fabrício, Dois Irmãos, Macaxeira (parte plana), Casa Amarela (parte plana), Casa Forte, Poço da Panela, Santana, Monteiro, Parnamirim, Mangueira, Bongi, Mustardinha, Prado, Cordeiro, Zumbi, Santo Amaro, Boa Vista, Soledade, Derby, Coelhos, Ilha do Leite, Paissandu, Graças, Espinheiro, Bairro do Recife, Aflitos, Madalena, Torre, San Martin, Mangueira e Jiquiá.

A notícia alegra a costureira Vitória Régia, de 60 anos. Diagnosticada com artrose e artrite, ela tinha dificuldade em carregar os baldes de água pela casa onde mora, na Várzea. "Essa falta começou em dezembro. Foi piorando e eu tive que me encher de baldes dentro de casa, coloquei bomba de água, que fez a minha conta de energia aumentar, outra caixa de água no chão, porque tenho problema de coluna e tive que procurar soluções, já que não estava dando para carregar balde o tempo inteiro para lavar prato, lavar banheiro", relata.

Ela explica que era "raro" faltar água em casa antes do rodízio, e que espera que o reabastecimento seja duradouro. "Aqui na Várzea era muito raro faltar. Eu só tinha caixa d' água de cima e ela mal esvaziava. Se voltar segunda, vai facilitar minha vida, porque hoje preciso esperar o dia para lavar roupa. Tem dia ainda que a água chega fraca e não dá para ligar a máquina", conta.

Morador dos Torrões, na Zona Oeste da cidade, o motorista Domingos Sávio da Silva, de 44 anos, sofre com o rodízio desde fevereiro. Aqui são 24h com e 48h em uma semana. Na outra semana, são três dias sem e um dia com. Todo dia, chega às 6h e vai embora às 19h. Está me prejudicando muito. Tive que comprar outra caixa de água e baldes grandes, está horrível. Quando voltar, vai facilitar a minha vida, estou torcendo para isso", diz.

Conforme dados desta segunda (17) divulgados pela Compesa, a Barragem de Pirapama, localizada no Cabo de Santo Agostinho, atingiu 96.26% de acumulação, quando no dia 12 de maio estava com 68.51%. O equipamento contribui com 5 mil litros de água por segundo para as cidades do Cabo de Santo Agostinho, Recife e Jaboatão dos Guararapes. Já a Barragem de Tapacurá — que contribui com água para Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe — teve uma recuperação menor, porém importante, saindo de 30.32% para 35.56%.

Mesmo no Grande Recife, algumas regiões ainda continuam em rodízio de águas, como as de morro e as da área Norte. "Fora esses 42 bairros e outros que já anunciamos, alguns bairros continuam em sistema de revezamento por uma questão de infraestrutura urbana. Estamos fazendo licitação para obras de setorização para fazer com que a água chegue nessas areas mais difíceis", explica Nyadja Menezes, diretora Regional Metropolitana da Compesa.

“Nosso compromisso, conforme determinação do governador Paulo Câmara, é promover a ampliação da oferta de água para a população. Quando isso se traduz em eliminação de rodízio, a satisfação é ainda maior”, ressalta a presidente da Compesa, Manuela Marinho. Ela destaca que a Companhia continuará acompanhando a repercussão nos demais mananciais da RMR e que, sendo possível, novos anúncios poderão ser feitos. “De abril para cá, já eliminamos ou reduzimos o rodízio para milhares de pessoas apenas na RMR. Não vamos descansar na nossa meta de levar água para cada vez mais pessoas”, diz.

Comentários

Últimas notícias