ATAQUE DE TUBARÃO

Vítima de novo ataque de tubarão na Igrejinha de Piedade também estava no raso, afirmam bombeiros. Veja estado de saúde atualizado

Quinze dias atrás, o banhista morto por um tubarão no mesmo ponto também tinha entrado no mar com água abaixo da cintura

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 25/07/2021 às 13:47
Notícia
Filipe Jordão/JC Imagem
Região da Igrejinha de Piedade após ataque de tubarão deste domingo, 25 de julho - FOTO: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

Assim como o auxiliar de serviços gerais Marcelo Costa Santos, 51 anos, morto após ser atacado por um tubarão no domingo 10/7, Everton Guimarães Reis, 32 anos, mordido na coxa neste domingo (25/7) em frente à Igrejinha de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, também estava no raso. A confirmação de que a vítima não tinha se arriscado no fundo do mar foi dada pelo Corpo de Bombeiros de Pernambuco, que fez o socorro ao banhista. 

“Por volta das 12h20 da tarde de hoje (25/07), o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender uma vítima de ataque de tubarão, na Praia de Piedade, em frente à Igrejinha, em Jaboatão dos Guararapes. A vítima, de 32 anos, do sexo masculino, estava em águas rasas",  informaram os bombeiros. Sobre o estado de saúde da vítima, a informação é de que ela teria sido mordida na coxa esquerda e estaria estabilizada. "Os guarda-vidas realizaram a contenção da hemorragia, com o apoio da equipe de Moto resgate. A vítima sofreu uma lesão na parte posterior da coxa esquerda e glúteos e foi conduzida, consciente, para o Hospital da Aeronáutica. Ocorrência em andamento”, finalizaram os bombeiros. 

O banhista foi transferido para o Hospital da Restauração, no Recife. Ao fim da tarde, ele saiu do bloco cirúrgico estável. A previsão é de que ele passe de 24 horas a 48 horas na sala de recuperação. Provavelmente, depois vai para a enfermaria de trauma do HR ou de um hospital particular.

 

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Bandeira vermelha no local do ataque avisa para os riscos de entrar no mar, inclusive de afogamento - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

A confirmação oficial de que, mais uma vez, um banhista é atacado naquele ponto - o mais crítico de todo o Litoral de Pernambuco - mesmo estando no raso, assusta a população e serve de alerta para o poder público. No ataque ao auxiliar de serviços gerais, 15 dias atrás, os bombeiros também confirmaram que a vítima estava no raso. Teria entrado na água apenas para se lavar, depois de uma partida de futebol com os amigos. Segundo informações dos bombeiros que ainda tentaram salvá-lo, a vítima estava com água abaixo da cintura.

 

 

“O rapaz estava com amigos jogando futebol e entrou sozinho no mar para se limpar, com a água abaixo da linha da cintura. Não estava fundo. Quando foi mordido, ele mesmo gritou informando que estava sofrendo um ataque de tubarão. Foi quando os salva-vidas do posto 10 desceram, o retiraram da água e fizeram um primeiro atendimento", relatou o capitão do Corpo de Bombeiros Joel Fernandes, que participou do socorro.

Igrejinha de Piedade: mais uma vez reduto de um ataque de tubarão. Entenda a razão 

No dia seguinte ao ataque, durante a liberação do corpo de Marcelo Costa Santos no IML, a família da vítima confirmou que ele estava no raso e que não tinha bebido - atitude também comum nos incidentes com tubarão. Ele foi “puxado” pelo animal quando saía do mar. A afirmação foi feita pelo cunhado do auxiliar de serviços gerais. “Todo mundo que vive na região sabe que aquele trecho da praia é perigoso, que há ataques de tubarão. E Marcelo também. Não costumava frequentar a praia e, quando ia, era com toda a família. Mas foi uma fatalidade. O bicho (tubarão) arrastou ele pela cintura. Ele foi puxado. Estava no raso e foi puxado quando já saia do mar. Pelo menos foram essas as informações repassadas por quem estava com ele”, afirmou o motorista e comerciante José Cabral.

INCIDENTES EM PERNAMBUCO
Até hoje, foram registrados 68 ataques de tubarão em Pernambuco desde 1992 (incluindo o deste domingo): 63 ataques no continente, sendo 27 no Recife, 25 em Jaboatão dos Guararapes, seis no Cabo de Santo Agostinho, quatro em Olinda, um em Paulista e outro em Goiana. Em Fernando de Noronha, quatro pessoas foram vítimas dos tubarões. Há, ainda, dois casos em análise pelo Cemit em Noronha, que ainda não foram oficialmente incluídos no relatório.

Do total de vítimas, 26 não resistiram aos ferimentos, e 41 sobreviveram - muitas sofreram amputações. Além da Igreja de Piedade (19,35%), o ponto onde mais foram registrados incidentes no continente foi no Acaiaca (11,29%), na Praia de Boa Viagem. Em Fernando de Noronha, cada um dos quatro ataques aconteceu em localidades diferentes.

Comentários

Últimas notícias