URBANISMO

Quiosques da orla de Boa Viagem têm requalificação adiada pela Prefeitura do Recife em um mês

Por nota, a gestão disse ainda aguarda a conclusão do processo licitatório. Início das obras agora está previsto para o final de março

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 09/02/2022 às 10:18 | Atualizado em 09/02/2022 às 10:53
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Abandono dos quiosque na Orla da Praia de Boa Viagem. - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Com informações de Natália Ribeiro, da Rádio Jornal

Os barraqueiros da orla de Boa Viagem e do Pina, na Zona Sul do Recife, vão precisar esperar ainda mais pelo início da requalificação dos quiosques. A reforma dos equipamentos, que atualmente se encontram danificados, estava prevista para começar em fevereiro de 2022; mas a Prefeitura do Recife adiou o início das obras, que agora têm prazo de início para até o final de março. Por nota, a gestão disse ainda aguarda a conclusão do processo licitatório.

Mesmo assim, os barraqueiros seguem esperançosos com a reforma. "A gente está na expectativa de que comecem, porque mesmo com o agravamento da pandemia tem muito turista na Avenida Boa Viagem, e queremos proporcionar uma qualidade de atendimento melhor. Sabemos que a licitação tem toda uma burocracia, e, também, março já está na porta. Vamos aguardar", disse Josy Miranda, presidente da Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife.

Ao todo, serão R$ 10,2 milhões investidos pelo município. Os serviços serão realizados em dez lotes de seis quiosques cada pelo Gabinete de Projetos Especiais, com a parceria da Secretaria de Políticas Urbanas e Licenciamento, e têm prazo de conclusão de 15 meses após o início das obras.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Atual situação dos quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina, no Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Atual situação dos quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina, no Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Atual situação dos quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina, no Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Atual situação dos quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina, no Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

A classe já pede por melhorias há pelo menos três anos. Em junho de 2020, onze anos depois da última reforma nos quiosques, a PCR assinou um acordo que permitia à Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife (ABCR) elaborar o projeto e a forma de captação de recursos - que deveria ser feita, até então, em parceria com a iniciativa privada. Ele foi aprovado em dezembro, e o prazo para que o patrocínio com empresas fosse firmado era outubro de 2021 - o que não aconteceu.

Entretanto, como nenhuma tratativa foi feita até então, a prefeitura encerrou o termo de cooperação e, em reunião com a ABCR, assumiu a execução da obra. “Eles não conseguiram [um patrocinador] a tempo, então a gente conversou e encabeçamos o projeto licitado pela associação, uma vez que sabemos da urgência e da necessidade dele, já que os quiosques são os embaixadores da orla, que está precisando de atenção”, afirmou a chefe do Gabinete de Projetos Especiais, Cinthia Mello.

Como ficarão

O visual previsto para os 60 quiosques será planejado pela ABCR, com assinatura do arquiteto Bruno Ferraz em parceria com o historiador e escritor Leonardo Dantas Silva e pelo xilogravurista Severino Borges, salvo algumas alterações, como na dimensão, na laje e nas esquadrias. 

DIVULGAÇÃO
Projeto dos novos quiosques da orla de Boa Viagem e Pina - DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Projeto dos novos quiosques da orla de Boa Viagem e Pina - DIVULGAÇÃO

"O tamanho anterior não iria caber em todos os locais da orla, principalmente na parte mais estreita, então diminuímos para 39,8m², mas mantivemos toda a funcionalidade dele para dar uma unanimidade. Ainda assim, aumentou em 20% na área de cobertura e dobramos a área útil. As esquadrias serão reforçadas em madeira para evitar arrombamentos, e a laje plana dialogará com a linha de horizonte da praia", explicou Cinthia.

Os novos quiosques prometem unir cultura, modernidade e sustentabilidade. Nas paredes, haverá versos contando fatos marcantes da história recifense, que comemora 500 anos em 2037, desenhos com grafismo de Cordel e painel de azulejos portugueses com o desenho do antigo calçadão da orla. O concreto será pigmentado na cor areia e o balcão será acessível para atendimento de cadeirantes.

Comentários

Últimas notícias