COVID-19

Câmara do Recife libera servidores com mais de 60 anos e toma outras medidas em relação ao coronavírus

A Casa de José Mariano vai adotar sete medidas preventivas ao coronavírus que começam a valer a partir desta terça-feira (17)

Alice Albuquerque
Alice Albuquerque
Publicado em 16/03/2020 às 17:53
Notícia
DIVULGAÇÃO/CÂMARA DO RECIFE
Reunião da Comissão Executiva - FOTO: DIVULGAÇÃO/CÂMARA DO RECIFE
Leitura:

A Comissão Executiva da Câmara Municipal do Recife definiu, na manhã desta segunda-feira (16), sete medidas de prevenção ao coronavírus. As medidas passam a valer a partir desta terça-feira (17) por tempo indeterminado, e serão reavaliadas constantemente. Foi estabelecido um novo horário de funcionamento da Casa, que frisa não fechar as portas ao público, mas que haverá um maior controle de acesso. Ainda será formada uma Comissão Especial destinada à prevenção do novo coronavírus, além de um grupo de trabalho para acompanhar todas as informações da doença.

>> Alexandre Frota apresentará pedido de impeachment contra Bolsonaro nesta terça-feira (17)

>> Coronavírus: Bolsonaro diz que isolar o presidente seria um golpe

Nas sete medidas tomadas, estão que as portas estarão abertas ao público e não será permitidas aglomerações na Casa. O horário de funcionamento será das 9h às 13h. A justificativa é porque é o horário de menos pico de pessoas entrando e saindo da Casa de José Mariano, mas cada departamento pode estender o horário caso seja necessário. As sessões plenárias vão acontecer nos mesmos dias (segunda, terça e quarta-feira), mas em horários diferentes, das 10h às 13h e a ordem do dia não será mais impressa. Já as reuniões das Comissões irão obedecer um cronograma previamente informado pelos respectivos presidentes dos colegiados.

>> Alepe adota medidas de prevenção ao coronavírus

Os servidores acima de 60 anos que fazem parte do grupo de risco estão suspensos, além das mulheres grávidas. Viagens feitas pelos servidores e parlamentares à serviço da Casa em território nacional ou internacional estão suspensas. De acordo com a assessoria da Casa, ela segue as determinações do Decreto 48.809/2020 do governo do Estado que estabelece que todo servidor “que retornar do exterior seja por gozo de férias ou eventuais licenças deverá efetuar comunicação imediata à Secretaria Estadual de Saúde e permanecer em isolamento domiciliar por sete (07) dias mesmo que não apresente qualquer sintoma relacionado ao Covid-19, devendo aguardar orientações da referida secretaria”.

Sessão Ordinária

A sessão ordinária da tarde desta segunda-feira (16), foi pautada por discussões acerca da prevenção a pandemia do novo coronavírus na Câmara Municipal do Recife. Após o pronunciamento do presidente da Casa Eduardo Marques (PSB) informando as sete medidas tomadas pela Comissão Executiva em relação ao combate, e falar que o secretário de Saúde do Recife Jailson Correia comparecerá à sessão ordinária desta terça-feira (17), que começa às 10h, para falar sobre as medidas tomadas pela secretaria.

Por sua vez, o vereador Ivan Moraes (PSOL) se candidatou a uma das vagas da Comissão Especial que será formada. "Nosso mandato tem algumas contribuições que precisam ser repassadas à Prefeitura. O problema não se trata de boataria ou superstição, estamos no meio de uma pandemia global, com a possibilidade de transmissão muito grande e não podemos fechar os olhos para a importância".

>> Veja decretos do governo de Pernambuco e da prefeitura do Recife para conter avanço do coronavírus

Ele ainda manifestou um voto de repúdio ao presidente Jair Bolsonaro por ter comparecido a uma das manifestações pró-Bolsonaro que aconteceu nesse domingo (15). "O presidente da República é um criminoso, com chances de estar contaminado, apresentou-se no meio da manifestação segurando nas mãos, pegando celulares. E também aos parlamentares da Assembleia Legislativa que fizeram o mesmo, inclusive, desobedecendo a orientação do governador do Estado. Está na hora da gente se unir e entender que estamos diante de um caso gravíssimo".

>> Coronavírus: após descumprir protocolo e cumprimentar manifestantes, Bolsonaro diz que faria de novo

O vereador Rogério de Lucca (PSL) explicou como funciona a contaminação do vírus e pediu a suspensão das reuniões "no período de 30 a 40 dias. Já a vereadora Ana Lúcia (Republicanos) ressaltou a importância do não fechamento total da Casa de José Mariano. "A Casa é o maior instrumento de aproximação do povo e podemos criar várias formas como reduzir o tempo, mas não podemos deixar de estar junto da população porque ela precisa estar junto de nós. Temos uma eleição pela frente, mas precisamos focar nessa pauta", ela também criticou algumas medidas tomadas pela Prefeitura do Recife em relação ao coronavírus nas escolas municipais.

>> Secretários de Desenvolvimento Econômico do Nordeste debatem sobre investimentos e os impactos do coronavírus

No entando, o vereador João da Costa (PT) discutiu a problemática do criticando a forma que ela está sendo tratada pelo presidente Bolsonaro. "Ao contrário de um grupo de Países que vêm tomando uma atitude de forma preventiva, a gente não vê isso sendo apresentado neste País. O governo Bolsonaro, de forma irresponsável, vem tratando essa questão da pandemia e colocando em risco a saúde de milhões de brasileiros. Há setores incentivados pelo governo a dizer que é para ninguém se preocupar. Agora, só falta dizer que o coronavírus é do PT, é de esquerda, que quer causar uma grande confusão e crise econômica para beneficiar alguns".

>> Coronavírus: Prefeitura do Recife ordena fechamento de escolas públicas, particulares e faculdades a partir desta quarta

João também falou sobre a quantidade de vagas que o Sistema Único de Saúde tem na UTI em todo o Brasil, caso seja necessária devido ao coronavírus. "Temos 11 mil vagas no Brasil inteiro, mas não quer dizer que elas estão vagas. Só tem em torno de 5% de UTI vaga, que totaliza cerca de 500".

Comentários

Últimas notícias