crise

Bolsonaro e Doria trocam farpas em reunião sobre coronavírus: "Saia do palanque"

Bolsonaro disse que o governador de São Paulo não tinha autoridade para criticá-lo depois de usar seu nome para se eleger e depois ter lhe virado as costas

Maria Lígia Barros
Maria Lígia Barros
Publicado em 25/03/2020 às 12:12
Notícia
Foto: Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro e Doria foram aliados durante as eleições de 2018 - FOTO: Foto: Marcos Corrêa/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), travaram embate na reunião por videoconferência que aconteceu na manhã desta quarta-feira (25) com as quatro lideranças do Sudeste, reportou o jornal Folha de S. Paulo. Em meio a discussão sobre a contenção do avanço do coronavírus, Bolsonaro pediu ao antigo aliado que saísse do palanque. Para o presidente, Doria não tinha autoridade para criticá-lo depois de usar seu nome para se eleger e depois ter lhe virado as costas.

“Subiu a sua cabeça a possibilidade de ser presidente do Brasil. Não tem responsabilidade. Não tem altura para criticar o governo federal”, afirmou Bolsonaro. ”Se você não atrapalhar, o Brasil vai decolar e conseguir sair da crise. Saia do palanque", completou.

>> Em live, Bolsonaro diz que falará com ministro da Saúde para propor isolamento do coronavírus apenas para idosos

>> O que é isolamento vertical, sugestão de Bolsonaro para conter coronavírus?

>> Em cadeia nacional, Bolsonaro reabre guerra com imprensa e critica gestores estaduais por isolamento do coronavírus

>> Após Bolsonaro pedir reabertura do comércio e escolas e fim da quarentena do coronavírus, políticos reagem

>> Durante pronunciamento na TV, Bolsonaro é alvo de panelaços no Grande Recife

>> Com 46 mortes, Brasil passa dos dois mil casos confirmados de coronavírus

As informações foram relatadas à Folha por três participantes da reunião. De acordo com eles, Doria teria começado a conferência criticando a condução do presidente da crise do coronavírus.

"Inicio na condição de cidadão, de brasileiro e de governador de São Paulo, lamentando os termos do seu pronunciamento ontem à noite à nação", falou. "Estamos aqui, os quatro governadores do Sudeste em respeito ao Brasil e aos brasileiros, e em respeito ao diálogo e ao entendimento. Mas o senhor que é o presidente da República tem que dar o exemplo, e tem que ser o mandatário a dirigir, a comandar e liderar o país e não para dividir", acrescentou.

Ao ouvir o pedido de Doria que acelerasse a liberação de insumos e não confiscasse respiradores, Bolsonaro, respondeu que o governador deveria guardar opiniões pessoais para 2022, quando acontecerão as novas eleições majoritárias.

Os governadores do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), também fizeram comentários negativos a respeito do posicionamento da terça-feira (24) de Bolsonaro.

Mais cedo, em pronunciamento em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro havia criticado as medidas de isolamento adotadas por Doria e Witzel no combate à pandemia da covid-19. "Alguns governadores, não todos, mas em especial os do Rio e de São Paulo, estão fazendo demagogia barata para esconder outros problemas", defendeu. 

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Veja a evolução da pandemia do coronavírus em Pernambuco

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias