Eleições 2020

PDT lança pré-candidatura de Isabella de Roldão à Prefeitura do Recife

Isabella de Roldão foi vereadora do Recife entre 2012 e 2016. Em 2018 foi candidata a vice-governadora na chapa de Maurício Rands (Pros) e, no início de 2019, assumiu a Secretaria de Habitação do Recife

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 30/07/2020 às 17:45
Notícia

Foto: Divulgação
A ex-vereadora Isabella de Roldão era cotada para ocupar a vice na chapa de João Campos - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Atualizada às 19h47

Apenas um dia após o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) lançar oficialmente a sua pré-candidatura a prefeito do Recife, o diretório estadual do PDT, comandado pelo também deputado federal Wolney Queiroz, emitiu uma nota informando que a ex-vereadora Isabella de Roldão também colocou seu nome no páreo para representar o partido no pleito deste ano. Wolney é aliado de primeira hora do PSB, partido que atualmente administra a capital, e sempre se colocou contra o lançamento da candidatura de Túlio.

“A direção estadual do PDT esclarece que os rumos que o partido deverá tomar nas próximas eleições serão definidos em convenção municipal da legenda. Por enquanto, temos duas pré-candidaturas a prefeito do Recife: a do deputado Túlio Gadêlha e a da ex-vereadora Isabella de Roldão”, diz trecho do comunicado. O texto ressalta, ainda, que a sigla está aberta ao diálogo e que tem quadros competitivos para “para colocar à disposição do povo do Recife”.

>> ''Eu, Lupi e Ciro fomos pegos de surpresa'', diz Túlio Gadêlha sobre pré-candidatura de Isabella de Roldão

>> Túlio Gadêlha anuncia pré-candidatura à Prefeitura do Recife

>> Ciro Gomes afaga João Campos e PSB, mas volta a defender Túlio Gadêlha candidato no Recife

Isabella de Roldão foi vereadora do Recife entre 2012 e 2016. Em 2018 foi candidata a vice-governadora na chapa de Maurício Rands (Pros) e, no início de 2019, assumiu a Secretaria de Habitação do Recife. Ela ocupou o cargo até abril de 2020, quando se desincompatibilizou da função para ter a possibilidade de concorrer nas eleições deste ano. Nos últimos meses, comentava-se nos bastidores que a ex-vereadora estava sendo sondada pelo PSB para ocupar a vice na chapa do deputado federal João Campos.

“Eu sempre me coloquei à disposição do partido. Meu nome já era ventilado para concorrer na majoritária e estávamos consolidando isso. Infelizmente, com a surpresa da decisão unilateral de lançamento da pré-candidatura de Túlio, vamos começar a trabalhar e a construir isso (a candidatura). Mas é como costumo dizer: a política, assim como a vida, não se faz no individual. Ninguém vive sozinho e na política é a mesma coisa. Em tese eu não sou candidata a nada, eu não sou candidata de Isabella, sou candidata de um grupo, pensando na coletividade”, pontuou.

A agora pré-candidata disse, ainda, que acredita que as decisões tomadas pela agremiação no Recife não devem deixar de lado as alianças que o PDT está formando no âmbito nacional, inclusive com o PSB. “A gente sabe que existe um grande bloco de união nacional que trabalha num momento crítico que o País atravessa, que é essa questão de como (o presidente Jair) Bolsonaro vem conduzindo as políticas públicas para as pessoas, mas acima de tudo da forma autoritária e antidemocrática como ele vem conduzindo o País. A gente construiu um bloco e é importante o fortalecimento desse bloco. A gente não está para brigar no individual”, declarou.

No início da noite, o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) lançou uma nota dizendo que ele, Carlos Lupi (presidente nacional do partido) e Ciro Gomes (vice-presidente) foram "pegos de surpresa" com a informação da pré-candidatura de Isabella. "Eu, Lupi e Ciro fomos pegos de surpresa com o pronunciamento da pré-candidatura da ex-vereadora Isabella de Roldão. No dia 16 de Junho, nos reunimos virtualmente com os pré candidatos a vereador do PDT no Recife e Isabella externou ainda ter dúvidas se disputaria um mandato para Câmara Municipal. Por isso nos surpreendemos com o pleito a prefeitura", justificou o parlamentar, no texto.

Túlio afirmou, no entanto, que considera importante o lançamento da pré-candidatura da correligionária "para o debate interno sobre o Recife". "Isso (a pré-candidatura de Isabella) demonstra, inclusive, a unidade do nosso partido na avaliação de construir um projeto alternativo para a cidade, longe do projeto do PSB. Além disso, essa discussão também é saudável para a democracia interna do PDT em Pernambuco. No mais, nos orgulhamos da nossa construção que lançará a maior e mais qualificada chapa de pré candidatos a vereador nos últimos 25 anos", declarou o pedetista.

Aliado de Túlio, o advogado e pré-candidato a vereador Pedro Josephi (PDT) afirmou, por nota, que o grupo do parlamentar no partido recebeu "com espanto" o lançamento da candidatura de Isabella à prefeitura. O militante diz, no entanto, que a notícia os "alegra", pois mostra que todos os setores da sigla desejam uma candidatura própria na capital.

No texto, Josephi defende que caso Isabella queira realmente concorrer, seu grupo deveria entregar os cargos que ocupa atualmente na PCR. "Isabela foi vice de Maurício Rands, em 2018, como oposição ao PSB estadual também. Mas, avalio que seria coerente e honesto com o povo recifense que todo o seu grupo deixe a gestão do Prefeito atual. Importante lembrar também que o nome de Túlio já foi debatido internamente e escolhido por Lupi e Ciro Gomes", disparou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias