ELEIÇÕES 2020

Às vésperas da definição do MDB no Recife, João Campos vai ao encontro de Jarbas Vasconcelos

De acordo com o deputado federal Raul Henry, o processo de escutas dentro do partido já foi iniciado e o posicionamento com relação ao disputa no Recife será debatido nesta terça-feira (11)

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 06/08/2020 às 19:00
RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
VISITA Para marcar posição, João Campos (PSB) foi ao escritório do senador Jarbas Vasconcelos (MDB) - FOTO: RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Diante dos últimos anúncios das pré-candidaturas a Prefeitura do Recife, no campo da esquerda, e as possíveis baixas nos partidos que compõem a Frente Popular, mais uma peça neste xadrez eleitoral poderá ser alterada. O diretório estadual do MDB, liderado pelo deputado federal Raul Henry, definirá nesta terça-feira (11), o posicionamento do partido no pleito majoritário na capital pernambucana.

>> Pré-candidaturas de partidos da esquerda podem minar o PSB de João Campos na disputa pela Prefeitura do Recife

>>PSB de Pernambuco silencia sobre apoio do PT a pré-candidatura de Marília Arraes

>> Diretórios estadual e municipal do PT cedem e declaram apoio à candidatura de Marília Arraes no Recife

A Frente Popular é composta, até então, pelos partidos: PT, PDT, PSB, PP, PROS, PSD, MDB, PCdoB, PSD, Solidariedade, Avante, Patriota, PPL, PTC, PMN - o Republicanos tem ensaiado retornar ao bloco. De acordo com o presidente estadual do MDB, foi iniciada uma série de escutas entre as lideranças emedebistas para tratar do futuro do partido nestas eleições. “Nós estamos em um período de pré-convenções, onde todas as candidaturas são legítimas. Neste momento, os partidos querem se fortalecer. Nós também temos essa estratégia no Estado inteiro.Iniciei um processo de consultas, já estive com o senador Jarbas (Vasconcelos) ontem (quarta-feira), com outros companheiros do partido e vamos fazer uma reunião para definir nossas posições”, explica Raul Henry ao JC.

Um dia após o encontro com o presidente estadual do MDB, o senador Jarbas Vasconcelos recebeu o pré-candidato a prefeito do Recife pelo PSB, o deputado federal João Campos. O encontro, que ocorreu na manhã desta quinta-feira (06), foi registrado nas redes sociais do socialista. Ambos esclareceram que o cenário local não foi tratado na conversa.

“É sempre muito bom ouvir Jarbas, que conhece muito bem a nossa cidade e o nosso estado, sempre colocando toda a sua experiência à disposição do nosso povo”, declarou Campos.

 

"As dificuldades e os desafios políticos que estamos passando, assim como as matérias importantes que o Congresso Nacional precisa encarar para ajudar o País a retomar o caminho do desenvolvimento, estiveram na pauta do encontro que tive com João Campos. Tenho conversado com ele desde quando estávamos atuando presencialmente em Brasília e sigo aqui no Recife com essa agenda de reuniões", afirmou Vasconcelos.

O secretário Murilo Cavalcanti, que chegou ter seu nome ventilado para compor a vice na chapa de João Campos, ressaltou que a visita foi tranquila e produtiva. “Foi uma conversa muito boa, João sabe da importância que Jarbas tem, ele foi governador de Pernambuco, já foi prefeito do Recife, então ele tem muito o que falar sobre os desafios de ser gestor”, comentou.

OPOSIÇÃO

A visita de João Campos ao senador Jarbas Vasconcelos também tem sido lida como um movimento em busca de fortalecer a aliança com o MDB e garantir apoio ao seu palanque na disputa municipal. Dentro do partido, há uma ala capitaneada pelo senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo Bolsonaro, que aposta na vitória da oposição nas urnas. 

Ao comentar sobre o papel da oposição nestas eleições, sobretudo no Recife, Bezerra havia afirmado ao JC que tem articulado fortemente com outros líderes como o ex-senador Armando Monteiro Neto (PTB), o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, o deputado federal Luciano Bivar (PSL), para consolidarem uma chapa forte e com condições de estar presente em um segundo turno. 

"Existe um clima de mudança no Recife, as pesquisas já indicam isso. A candidatura do PSB tem dificuldades, pois existe um cansaço político, em relação ao longo período a frente do poder municipal e estadual. As oposições alimentam uma expectativa muito positiva", declarou. 

"Evidente que precisam conversar muito para unificar o palanque, acho que será possível reunir em todo de uma ou duas candidaturas e temos uma chance boa de colocar no segundo turno das eleições", complementou. O senador é um grande entusiasta de uma pré-candidatura própria do MDB, indicando inclusive, o deputado federal Raul Henry, ex-vice-governador de Pernambuco.  

 

 

 

Comentários

Últimas notícias