BOLSONARO

João Campos declara apoio a candidato de Bolsonaro para presidência da Câmara

O PSB integra o bloco de oposição, que formalizou o apoio ao candidato Baleia Rossi (MDB-SP), mas há uma racha interno da bancada entre os que defendem votar em Arthur Lira, tido como o "candidato do presidente Jair Bolsonaro" para disputar a presidência da Câmara

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 13/01/2021 às 15:41
Notícia

BRUNO CAMPOSDIVULGAÇÃO
PREFEITO Embora critique Bolsonaro, João Campos fez defesa enfática do nome de Lira em reunião no Palácio - FOTO: BRUNO CAMPOSDIVULGAÇÃO
Leitura:

Em sua segunda passagem por Pernambuco, nesta quarta-feira (13), o deputado federal e candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sai com boas expectativas com relação aos possíveis votos que pode receber de parlamentares de partidos de esquerda, como é o caso do PSB. Apesar de o líder do partido, o deputado Alessandro Molon, ter oficializado o apoio ao postulante Baleia Rossi (MDB-SP), há socialistas que já fincaram apoio e pretendem trabalhar a favor da candidatura de Lira, como é o caso do prefeito do Recife e ex-deputado federal, João Campos (PSB).

>>''Democratizar a Câmara será o nosso principal papel'', diz Arthur Lira após encontro com Paulo Câmara

>> Dividido, PSB cogita até ter candidato à presidência da Câmara dos Deputados

>> Oposição fecha apoio à candidatura de Baleia Rossi para presidência da Câmara

O prefeito esteve presente no café da manhã, realizado no Palácio do Campo das Princesas, e segundo aliados, demonstrou total apoio à candidatura Lira, que é líder do bloco do Centrão na Câmara e tem a preferência do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). Mesmo com um posicionamento crítico ao governo federal, João Campos já vinha sinalizando ser a favor de Arthur Lira para a sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas não se sabe se o seu suplente, o deputado federal Milton Coelho, seguirá a mesma linha. 

Diferente da postura mais enérgica do prefeito João Campos, o governador Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB, adotou um tom mais diplomático e afirmou que irá respeitar as movimentações da bancada diante o pleito nacional. “O governador deixou a bancada tomar a decisão que achar conveniente”, afirmou o deputado federal Felipe Carreras, que também acompanhou a agenda de Lira no Recife.

Antes de entregar o mandato para assumir a prefeitura, João Campos e mais 17 deputados federais do PSB assinaram um indicativo de apoio ao deputado do PP. No entanto, o Diretório Nacional recomendou que a bancada não votasse em qualquer outra candidatura que fosse apoiada pelo Palácio do Planalto.

“Arthur (Lira) tem demonstrado estar preparado para ser presidente da casa, tem escutado todos os parlamentares, independente de posição política. O governador o recebeu muito bem, o prefeito João Campos o recebeu muito bem. Vejo hoje Arthur, sem sombra de dúvidas, como o melhor candidato para presidir a Câmara, para fazer com que os deputados possam exercer seu mandato na plenitude, dando respostas ao povo, à população”, declarou Carreras.

Ainda de acordo com o parlamentar pernambucano, existe uma possibilidade que boa parte da bancada - composta por 30 deputados federais - possa votar em Arthur, “50% ou um número maior”, grifou. Ele já havia dito que continua fazendo oposição ao governo Bolsonaro, mas apontou as incoerências adotadas pelo próprio partido ao apoiar Baleia Rossi, por ele votar favorável a diversas matérias do Executivo, e que, portanto, também seria um candidato governista.

"Quando se olha para o Brasil, no Nordeste se tem a maior desigualdade e ele (Arthur Lira) disse que irá discutir esse tema no Parlamento. É uma bandeira histórica do nosso partido e dialoga com valores que a população entende ser importantes. E, por ser do Nordeste, acho que ele sente na pele os efeitos dessa desigualdade", comentou Felipe sobre um dos temas tratados no encontro no Palácio.

DESCOLAMENTO

O deputado federal Arthur Lira tem tentado se descolar a imagem de que é "o candidato do presidente Jair Bolsonaro". Em suas declarações, ele afirma que a gestão à frente da presidência da Câmara, caso seja eleito, será pautada pela transparência e independência. 

“Nem a Câmara tem dono, nem muito menos eu. Nós vamos votar o que for necessário e for importante para o País, apoiado por deputados e por partidos que acreditam nessa nova dinâmica de conduzir a Câmara dos Deputados”, sublinhou o candidato a presidente da Casa. O parlamentar enfatizou que a Câmara dos Deputados necessita resgatar o protagonismo, dando voz e vez aos demais deputados da Casa. “Os deputados precisam ter voz porque a população de cada estado elege os parlamentares para que represente o seu povo e as causas estruturantes de seus estados”, completou, durante coletiva de imprensa, após o encontro com Paulo Câmara e uma comitiva formado por deputados estaduais e federais. 

 

DIVULGAÇÃO
Arthur Lira (PP) se encontra com o governador Paulo Câmara (PSB) e com o prefeito João Campos (PSB) no Recife - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias