Ex-ministro

Ciro Gomes chama Lula de ''maior corruptor da história brasileira" e promete ir 'para cima' do petista em 2022

O ex-governador acredita que pode ir ao segundo turno contra Lula e fala em buscar alianças com PSB, Rede e até partidos mais à direita, como o DEM

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 17/05/2021 às 10:52
Notícia
RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
Ciro Gomes (PDT) precisa ser viável para ter apoio do PSB - FOTO: RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Ex-ministro de Lula, Ciro Gomes disse que "vai para cima" do petista nas eleições de 2022. Após a última pesquisa Datafolha mostrar Lula à frente de Bolsonaro, Ciro disse haver possibilidade de disputar o segundo turno contra o ex-presidente.

"A probabilidade de se dar o segundo turno entre eu e o Lula está crescendo. Acho que Moro e Huck não são candidatos. Nem Doria. Se ele for, será fragilizado porque está muito mal em São Paulo e nunca teve entrada no Brasil. O único organizado, com o partido harmônico, sem confusão, sou eu", afirmou Ciro em entrevista ao Valor Econômico.

>> Em Pernambuco, corrida para a eleição 2022 já está a todo vapor

>> Eleições 2022: Lula venceria Bolsonaro em todos os cenários, aponta Datafolha

>> Bolsonaro tem alta na popularidade e só Lula o venceria no 2º turno em 2022, mostra pesquisa

>> Com pesquisas apontando polarização entre Bolsonaro e Lula, centro precisa se mexer caso queira ter chance em 2022, avaliam especialistas

Ciro disse que Lula está em seu máximo, enquanto Bolsonaro está em processo de derretimento. Além disso, o ex-governador do Ceará afirmou que o Brasil "nunca coube" na esquerda, nem na direita, e apostou em uma aliança de centro-esquerda. Como possíveis aliados para 2022, citou Rede, PSD e o DEM, além do PSB, do governador Paulo Câmara. Em 2018, quando ficou fora do segundo turno, Ciro esperava contar com apoio do PSB, mas o partido fez um acordo com o PT e decidiu não apoiar Ciro.

"Quem vai ter que se explicar agora é o Lula porque vou para cima dele. Vamos derrotar Bolsonaro e vou propor mudança. Lula é parte central da corrupção. Lula é o maior corruptor da história moderna brasileira. E não aprendeu nada. Fica na lambança, prometendo a volta de um passado idílico que é mentira", disse Ciro Gomes.

Para o político, Bolsonaro pode não chegar nem ao segundo turno pois pode estar isolado em 2022, sem o apoio de nenhum partido do chamado 'centrão'. "Ele está incitando a tropa, mas vai faltar chão", afirmou. "Bolsonaro está derretendo e o mais conhecido anti-Bolsonaro é o PT e Lula. Engolem as coisas do Lula para derrotar Bolsonaro. Mas se as pesquisas repetirem o que já estão dizendo, que eu derroto Bolsonaro, que Huck derrota, que Doria derrota, esse fator anti-Bolsonaro vai ficar menos tenso", concluiu Ciro.

PDT

A pesquisa Datafolha divulgada na quarta-feira (12) mostra que Lula atualmente lidera a corrida eleitoral do ano que vem, com 41% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro. O ex-ministro Ciro Gomes aparece com 6%.

Para o presidente do PDT, Carlos Lupi, Jair Bolsonaro está no início de uma tendência de queda de popularidade, e quem vai se beneficiar desse derretimento para 2022 é Ciro. "Começa a se construir um segundo turno Lula versus Ciro. É algo que venho falando desde dezembro e que começa a ganhar corpo. Bolsonaro tende a derreter cada vez mais e a representar o espectro mais radicalizado da sociedade, do ódio, da discriminação da direita mais raivosa. Como Moro e Huck não devem ser candidatos, há um grande espaço para o crescimento do Ciro", dizsse Lupi em entrevista ao 'O Tempo'.

Em movimentações recentes para conquistar eleitores de centro, o partido atraiu o marqueteiro João Santana e o economista liberal Paulo Rabello de Castro para seu time. "São 430 mil mortes. Ninguém pode ser responsabilizado por isso a não ser o Bolsonaro, um negacionista permanente, que continua andando sem máscara, ridicularizando a morte dos brasileiros. A conta está começando a chegar", completou Lupi.

Comentários

Últimas notícias