CPI

"Todos os atos da administração pública estão sujeitos à apuração, isto faz parte da democracia", diz Geraldo Julio, após pedido para depor em CPI da covid-19

O requerimento que convoca o ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio, para prestar esclarecimentos sobre supostas fraudes praticada pela Secretária de Saúde do Recife com recursos repassados pelo SUS, será votado no Senado

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 25/05/2021 às 19:53
Notícia
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
"O requerimento, que ainda será apreciado, é para prestar depoimento como testemunha e não como investigado", afirmou o ex-prefeito Geraldo Julio - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

O secretário de Desenvolvimento Econômico e ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), se posicionou sobre o requerimento, que será votado nesta quarta-feira (26), no Senado Federal, para prestar esclarecimentos à CPI da covid-19 sobre a operação Casa de Papel, realizada pela Polícia Federal para investigar supostas fraudes praticadas pela Secretaria de Saúde do Recife com recursos repassados pelo SUS para o enfrentamento da pandemia da covid-19. De acordo com o ex-chefe do Executivo municipal, "todos os atos da administração pública estão sujeitos à apuração, isto faz parte da democracia;", disse, em nota enviada ao JC

>> CPI da Covid encerra sessão sem decidir se convoca Geraldo Julio; requerimento deve ser votado na próxima semana

Ainda segundo Geraldo Julio, "o requerimento, que ainda será apreciado, é para prestar depoimento como testemunha e não como investigado". "A Secretaria Municipal de Saúde já prestou todos os esclarecimentos necessários aos órgãos de controle e demonstrou a legalidade dos atos; Os Hospitais Provisórios do Recife salvaram milhares de pessoas dessa terrível doença", concluiu a nota. 

>> Requerimento de convocação para Geraldo Julio depor CPI da Covid é oficializado. Veja o documento

A CPI da covid-19 deverá ouvir nove governadores e 11 ex-prefeitos, conforme antecipou o Blog de Jamildo. No caso específico do ex-prefeito do Recife, o requerimento foi feito pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que apontou como justificativa para a convocação de Geraldo Julio, esclarecimentos sobre os desdobramentos desencadeados pela Operação Casa de Papel, realizada em junho de 2020, pela Controladoria-Geral da União (CGU), Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal (MPF).

 

“Na investigação foram identificados indícios de irregularidades nas aquisições de materiais médico-hospitalares, tais como favorecimento na contratação, interpostas pessoas no quadro social da empresa (laranjas), sócios ocultos como verdadeiros proprietários e de lavagem de dinheiro. Os valores envolvidos nesse contrato chegam a R$ 7,5 milhões”, afirmou a CGU à época.

Respiradores

Em entrevista à Rádio Jornal, nessa segunda-feira (24), a procurada da República Silvia Regina Pontes Lopes afirmou que, mediante autorização judicial, foi encaminhada toda documentação pertinente referente ao caso da compra de 500 respiradores na ordem de R$ 11 milhões - que não tinha autorização da Anvisa para serem comercializados - , para a presidência do Senado Federal, no interesse da CPI da covid-19.

O Ministério Público Federal em Pernambuco (MPF-PE) ofereceu à Justiça Federal, denúncia contra seis pessoas no âmbito da Operação Apneia. Além do ex-secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, são alvos da ação  o ex-diretor Executivo de Administração e Finanças da Secretaria de Saúde do município Felipe Soares Bittencourt e a ex-gerente de Conservação de Rede da Secretaria de Saúde do Recife Mariah Simões da Mota Loureiro Amorim Bravo, bem como os empresários Juarez Freire da Silva, Juvanete Barreto Freire e Adriano César de Lima Cabral

Apesar de o ex-prefeito Geraldo Julio não estar sendo investigado nesta ação do MPF, informações apuradas pelo Blog de Jamildo, indicam que ele também pode ser convocado para prestar esclarecimentos sobre essas dispensas de licitação irregulares, através de outro requerimento, que pode ser apresentado por senadores até esta quarta-feira. 

Comentários

Últimas notícias