Oposição

'Ninguém pode perder o que nunca teve', diz Daniel Coelho sobre veto do MDB à candidatura de Miguel a governador

Daniel faz parte do mesmo grupo político de Miguel, mas já havia afirmado que não apoiaria um postulante alinhado com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 15/07/2021 às 16:03
Notícia
GILMAR FELIX/AGÊNCIA CÂMARA
Daniel Coelho, deputado federal e presidente estadual do Cidadania - FOTO: GILMAR FELIX/AGÊNCIA CÂMARA
Leitura:

Após o presidente estadual do MDB, deputado federal Raul Henry, afirmar nesta semana que o partido decidiu manter-se na base de apoio do PSB no Estado e, consequentemente, não lançar o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, como candidato a governador em 2022, o deputado federal Daniel Coelho (CID) declarou que "ninguém pode perder o que nunca teve" e que nunca fez "conta com o MDB na oposição". Daniel faz parte do mesmo grupo político de Miguel, mas já havia afirmado que não apoiaria um postulante alinhado com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O pai do gestor municipal, Fernando Bezerra Coelho (MDB), é líder do governo Bolsonaro no Senado.

"O MDB sempre esteve lá (na Frente Popular). Ninguém pode perder o que nunca teve. Nunca fiz conta com o MDB na oposição. Seguem os mesmos partidos no conjunto da oposição. Espero que o grupo comece a trabalhar as propostas para Pernambuco e que os nomes sejam consequência desse debate. Não nos faltam lideranças com conteúdo programático e voto na urna, para a missão", declarou o parlamentar e presidente estadual do Cidadania.

>> Discussão que vai ainda render, diz Fernando Bezerra sobre candidatura do MDB ao governo

>> Miguel Coelho lamenta permanência do MDB no governo Paulo Câmara

>> Na Rádio Jornal, Raul Henry diz não ter receio de saída de Miguel Coelho do MDB

>> Ligação dos Coelho com Bolsonaro é principal motivo para a rejeição do MDB à candidatura de Miguel ao governo, diz Raul Henry

>> PSB acredita que bolsonarismo vai atrapalhar candidato de oposição

Na última terça (13), Miguel Coelho lançou uma nota lamentando a permanência da sua sigla na base do governo e afirmando que respeita a decisão, mas que vai se manter "ao lado da esperança de mudança em Pernambuco". No mesmo dia, Henry, também por nota, declarou que o principal motivo para a rejeição da candidatura de Miguel dentro do MDB seria a proximidade dos Coelho com Bolsonaro.

Para Daniel, o momento ainda não é adequado para a discussão de nomes na oposição. Na visão do deputado, a escolha do representante do grupo só deveria ser feita quando a pandemia estivesse controlada. "Temos bons quadros que são prefeitos e que têm uma calamidade nas mãos. Prioridade a essa batalha contra a covid-19. Isso que defendo", pontuou. Além de Miguel, o coletivo do qual Daniel faz parte estuda o lançamento das candidaturas dos prefeitos de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), e de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), em 2022. 

FBC

Na manhã desta quinta-feira (15), Fernando Bezerra Coelho afirmou, em entrevista à Rádio Jornal, que apesar das notas divulgadas por Miguel e Raul, ainda é cedo para se colocar um ponto final nas discussões sobre uma candidatura ao Governo de Pernambuco pelo MDB.

"Eu acho que prefiro acreditar que isso é o início de um processo e que nós teremos a oportunidade de colocar novos argumentos e iniciar esse debate para que se tome uma decisão, se possível uma decisão consensual, mas cada um respeitando as suas posições políticas, assim como foi no passado", disse o senador.

Comentários

Últimas notícias