Ex-presidente

Em Pernambuco, Lula fala em viagens pelo Brasil nos próximos 14 meses e diz que ''quem dorme, não ganha eleição''

Lula visitou assentamento do MST em Moreno, na manhã desta segunda-feira (16)

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 16/08/2021 às 12:15
Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Lula visitou assentamento do MST em Moreno, na Região Metropolitana do Recife - FOTO: Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Leitura:

Em sua passagem por Pernambuco, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cumpriu agenda, na manhã desta segunda-feira (16), no assentamento Che Guevara, do MST, em Moreno, município da Região Metropolitana do Recife. Na ocasião, o petista prometeu continuar viajando o País pelos próximos meses.

Lula ganhou uma rede de presente para descansar. Ele agradeceu, mas disse que não usará o item pelos próximos 14 meses, pois "quem dorme, não ganha eleição". O ex-presidente esteve acompanhado de políticos e lideranças de movimentos sociais em sua passagem pelo assentamento. 

De acordo com o ex-presidente, o Brasil precisa de um estado forte e, por isso, "está na briga". "Não há País que vá para frente se o estado não for forte, se o estado não tiver capacidade de induzir o desenvolvimento. Estado serve para isso, serve para ajudar a desenvolver as regiões menos desenvolvidas, o estado não pode achar que mercado e capitalismo resolvem tudo, o mercado resolve onde tem mercado. Onde não tem, é o estado que tem que colocar a mão e garantir que o povo tenha direito. Por isso estamos na briga, não é uma briga eleitoral, não é briga de homem que quer ocupar lugar do outro, é briga pela recuperação da soberania do país", afirmou.

Lula segue em Pernambuco até esta terça-feira (17), no Estado ele já encontrou lideranças do PSB, como o governador Paulo Câmara e o prefeito João Campos, e deve ter mais reuniões antes de seguir em seu giro pelo Nordeste. 

O petista deverá ser o candidato do PT à Presidência da República em 2022 e, sem citar Jair Bolsonaro diretamente, disse nesta manhã que "o Brasil não merece sofrer o que está sofrendo".

Comentários

Últimas notícias