VISITA

Sem máscara, Bolsonaro chega à Bahia para formalizar concessão; Pernambuco é a próxima parada

Antes de chegar a Pernambuco, Bolsonaro cumpre agenda na Bahia, em visita a obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), em Tanhaçu

Marcelo Aprígio Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Marcelo Aprígio
Do jornal Correio para a Rede Nordeste
Publicado em 03/09/2021 às 10:33
Notícia
REPRODUÇÃO/BLOG DO ANDERSON
A - FOTO: REPRODUÇÃO/BLOG DO ANDERSON
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou no Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, às 8h35 desta sexta-feira (3). Ele visita hoje as obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), em Tanhaçu, participando da cerimônia que formaliza o contrato de concessão de um trecho da via. De lá, segue para Pernambuco, onde participará de solenidades.

Assim que chegou à Bahia, Bolsonaro foi logo ao encontro de apoiadores que o esperavam no aeroporto. Depois, seguiu de helicóptero das Forças Armadas para Tanhaçu, chegando cerca de 1 hora depois. Lá, outro grupo de pessoas o aguardava.

Nessa chegada, Bolsonaro não usou máscara facial para evitar a disseminação da covid-19. O uso de máscara é obrigatório em muitas cidades baianas, incluindo Conquista e Tanhaçu. Muitos dos apoiadores do presidente também não faziam uso do equipamento.

É a terceira vez que Bolsonaro vai à Bahia este ano. Em janeiro, ele esteve em Coribe e em abril, na cidade de Feira de Santana.

Fiol

A solenidade também contará com as presenças do ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas, do CEO da Bamin Eduardo Ledsham, dentre outras autoridades.

“É muito importante a presença do presidente para assinar o contrato de concessão da Fiol, dada a sua relevância para a Bahia. A gente está falando do projeto mais estruturante do estado. Um projeto que vai atender o setor mineral, num primeiro momento, e que depois vai atender também ao agronegócio, que cresce a taxas impressionantes, sobretudo no Oeste”, disse o ministro.

No total, serão investidos R$ 3,3 bilhões na ferrovia, de acordo com o Ministério da Infraestrutura (Minfra). A expectativa da pasta é de que o trecho concedido a iniciativa privada entre em operação em 2025, com a capacidade de transportar mais de 18 milhões de toneladas de carga.

Em um primeiro momento, 16 locomotivas e 1,4 mil vagões estarão em operação, dos quais, pelo menos, 1,1 mil serão destinados ao escoamento de minério de ferro. Em 10 anos, ainda de acordo com o Minfra, o volume de carga deve mais do que dobrar, superando 50 milhões de toneladas em 2035 – e chegar a 34 locomotivas e 2,6 mil vagões.

“A partir do momento que houver a assinatura desse contrato, a gente vai ter o desfecho das obras, a conclusão, recuperação do que foi perdido e a preparação para o início da operação”, diz Tarcísio.

No entanto, o governo federal ainda não divulgou uma previsão para a construção dos outros trechos da Fiol, que vão ligar Caetité até o Tocantins, atravessando o oeste da Bahia.

Já a Bamin diz que a capacidade total da via é para 60 milhões de toneladas por ano e que ela utilizará até 18 milhões de toneladas anuais. “As cargas da mineradora irão demandar apenas um terço da capacidade da via. Outros dois terços serão dedicados a outros produtos provenientes do agronegócio”, disseram.

Bamin diz que ferrovia vai trazer avanços socioeconômicos para Bahia

A Bamin está comemorando a conquista da Fiol, que, para a empresa, vai consolidar a logística de seus projetos e operações, que incluem a Mina Pedra de Ferro, na região de Caetité, e o Porto Sul, em Ilhéus.

”Com a Fiol, os dois empreendimentos vão prover o fornecimento com baixo custo de um minério de ferro de alta qualidade, excepcional no mercado mundial. Por demandar menor custo de produção, com redução do consumo de energia e emissão de poluentes, também contribui para melhorar a performance da indústria”, disseram, em nota.

Segundo a empresa, os projetos irão gerar mais de 10 mil empregos diretos e 60 mil indiretos na fase de implantação e 1.500 empregos diretos e 9 mil indiretos quando entrarem em operação.

A Fiol foi leiloada em abril, durante a Infra Week, evento ocorrido na B3, a bolsa de valores oficial do Brasil, sediada em São Paulo. O leilão teve apenas um lance válido, justamente o dado pela Bamin. A companhia arrematou o ativo com outorga de R$ 32,7 milhões, valor mínimo proposto.

A assinatura do contrato de concessão também faz parte do Setembro Ferroviário, que foi lançado ontem (2), pelo governo federal, durante o envio da Medida Provisória 1.065/2021, a MP das Ferrovias, para o Congresso. A ideia do governo é colocar em prática diversas iniciativas ligadas ao modal, como as obras da Ferrovia de Integração Centro-Oeste, que devem começar no dia 17 deste mês.

Em Pernambuco

Após o evento, o chefe do Poder Executivo nacional deixa a Bahia em direção a Pernambuco. A previsão é que o avião presidencial pouse na Base Aérea do Recife, no bairro do Jordão, Zona Sul da cidade, às 13h45. De lá, Bolsonaro segue para seu primeiro compromisso com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Eles visitarão uma ação social, às 14h30, com apresentação da Orquestra Cidadã do Recife, no 7º Depósito de Suprimentos do Exército, no Cabanga. Às 15h30, o presidente terá um encontro com empresários no Mar Hotel Recife, em Boa Viagem

Durante a noite, o presidente participa da cerimônia de passagem de cargo do Novo Comandante Militar do Nordeste, do General Marco Antônio Freire Gomes para o General Richard Fernandez Nunes. O evento está marcado para as 20h, na sede do Comando Militar do Nordeste, no bairro do Curado, Zona Oeste do Recife.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, publicou, em suas redes sociais, um vídeo dentro avião presidencial ao lado de Jair Bolsonaro, de outras autoridades e do pastor Silas Malafaia, que confirmou presença na motociata a ser realizada no Agreste do Estado, neste sábado (3). Na peça, Gilson afirma que o grupo está viajando à Bahia para, em seguida, vir a Pernambuco. Confira:

 

 

Comentários

Últimas notícias