Manifestações

Eduardo Bolsonaro diz que ato do dia 7 de setembro é para impor 'freio' a um juiz do Supremo

Nesta terça-feira (7), estão previstos atos em favor do presidente em vários locais do Brasil

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 06/09/2021 às 21:40
Notícia
LULA MARQUES/FOTOS PÚBLICAS
Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em Brasília - FOTO: LULA MARQUES/FOTOS PÚBLICAS
Leitura:
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) contradisse a defesa do pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e afirmou pela redes sociais que os protestos convocados por eles para o Dia da Independência buscam impor um freio a um dos juízes do Supremo Tribunal Federal (STF), supostamente o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news. O presidente, no lugar de acirrar atritos com o Judiciário, havia adotado a tese de que as manifestações serviriam de defesa das liberdades individuais, notadamente, às de livre manifestação e trânsito.
"Sete de setembro, o Dia da Independência do Brasil, não se busca apoio para enfrentar a Suprema Corte Federal, mas sim um freio em um de seus juízes que já prendeu jornalistas, manifestantes, presidente de partido político e deputado por supostos crimes sem previsão em lei", destacou Eduardo no Twitter. "Essas investigações da Suprema Corte foram abertas sem aprovação da PGR e o juiz Alexandre de Moraes, do STF, se diz vítima, acusador e juiz dos supostos crimes, algo que só ocorre em ditaduras", reforçou.
Nesta terça-feira (7), estão previstos atos em favor do presidente em Brasília e em São Paulo, na região central. Nas últimas semanas, o presidente tem promovido ameaças veladas a ministros do Supremo, tanto a Alexandre de Moraes, contra quem protocolou pedido de impeachment arquivado no Senado, quanto a Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e voz contrária à proposta de voto impresso.
 

Últimas notícias