Deputada federal

Deputada Tabata Amaral se filia ao PSB nesta terça-feira (21), em Brasília

Ato de filiação vai ser transmitido ao vivo pelas redes sociais da parlamentar e do partido

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 20/09/2021 às 17:43
Notícia
NE10
Tabata Amaral, deputada federal - FOTO: NE10
Leitura:

O PSB anunciou que a deputada federal Tabata Amaral vai oficializar a sua filiação ao partido nesta terça-feira (21), às 10h, em Brasília. O ato de filiação vai ser transmitido ao vivo pelas redes sociais da parlamentar e do partido.

Tabata havia anunciado que se filiaria ao PSB na última sexta-feira (17), durante participação no programa Conversa com Bial. Depois de quase dois anos de disputa judicial, a deputada conquistou a autorização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para se desfiliar do PDT sem perder o mandato.

Participam da cerimônia de filiação da parlamentar o presidente do PSB Nacional, Carlos Siqueira, o presidente da Fundação João Mangabeira, Marcio França, o governador do Maranhão, Flavio Dino, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, o prefeito de Recife, João Campos, namorado de Tabata, a bancada do PSB no Congresso Nacional, além de outras lideranças do partido.

>> Ator global José de Abreu ataca Tabata Amaral e discute com deputada que saiu em defesa dela

>> Tabata Amaral confirma que vai para o PSB em entrevista com João Campos para Pedro Bial

>> 'Entrei no PDT acreditando que o partido de fato queria ser um partido de centro-esquerda', diz Tabata Amaral

>> João Campos diz que quer 'construir a vida' ao lado de Tabata Amaral

"Como alguém que acredita em partidos e ficou dois anos nessa luta para conseguir o direito de se filiar a um novo partido, eu vou para o PSB, foram muitas conversas, e vou muito feliz. O PSB, dentro do campo progressista, tem muita clareza do seu papel no combate a esse governo tão autoritário, tão incompetente e tão corrupto que infelizmente lidera nosso país hoje", disse Tabata, na sexta-feira.

A decisão do TSE que permitiu à parlamentar sair do PDT sem perder o mandato é de maio deste ano. Uma resolução da corte prevê a desfiliação com a manutenção de mandato apenas se houver justa causa, como incorporação ou fusão do partido, criação de uma outra sigla, mudança substancial, desvio reiterado do programa partidário ou grave discriminação pessoal.

A corte entendeu, por 6 votos a 1, que o tratamento que o partido do presidenciável Ciro Gomes deu à deputada por ela ter votado a favor da Reforma da Previdência configurou justa causa.

Comentários

Últimas notícias