Eleições 2022

'Se eu for convocado por Bolsonaro, disputo o Governo de Pernambuco', afirma o Coronel Meira

Recentemente, Meira havia mencionado que seu partido teria candidato ao Palácio do Campo das Princesas, mas na ocasião mencionou como possíveis ocupantes do posto o ministro do Turismo, Gilson Machado, e a deputada estadual Clarissa Tércio, hoje filiada ao PSC

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 05/11/2021 às 16:49 | Atualizado em 05/11/2021 às 16:51
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Em entrevista recente, Meira afirmou que situação do PTB em Pernambuco é "muito difícil" - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Leitura:

Presidente estadual do PTB, o Coronel Meira afirmou, nesta sexta-feira (5), que pode vir a concorrer ao cargo de governador de Pernambuco nas eleições de 2022, caso esse seja o desejo do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Recentemente, Meira havia mencionado que seu partido teria candidato ao Palácio do Campo das Princesas, mas na ocasião mencionou como possíveis ocupantes do posto o ministro do Turismo, Gilson Machado, e a deputada estadual Clarissa Tércio, hoje filiada ao PSC.

"O PTB terá, sim, candidato. Nós temos excelentes quadros, temos o Gilson Machado, podemos ter uma grande bolsonariana, que é a Clarissa Tércio, e se por acaso não houver um consenso, não terei nenhuma dificuldade em cumprir mais uma missão. Se eu for convocado por Jair Messias Bolsonaro, vou disputar o Governo de Pernambuco pelo PTB", declarou Meira ao programa Manhã na Clube, da Rádio Clube AM.

>> Jair Bolsonaro escolheu um partido para 2022, mas decisão causou ciumeira e não foi anunciada ainda

>> Mais um partido entra na disputa pela filiação de Jair Bolsonaro

>> 'Miguel Coelho não vai dar palanque a Bolsonaro em Pernambuco', diz Coronel Meira após prefeito de Petrolina não ir encontrar presidente em PE

>> Coronel Meira é indiciado pela Polícia Federal por suposto crime contra honra da delegada Carla Patrícia, ex-superintendente local

Apesar de citar o auxiliar do presidente Bolsonaro como possível candidato a governador pelo PTB, Meira afirmou na mesma entrevista que Gilson Machado ainda não definiu o partido no qual deve se filiar visando o próximo pleito. "Ele (Gilson) está no aguardo do presidente, ele precisa saber para qual partido o presidente vai. Mas uma coisa todos precisam saber: o presidente tem um palanque em Pernambuco com o PTB. Mesmo que ele vá para outro partido e não consiga fazer esse palanque no partido que vai o abrigar, o PTB está 100% disponível em Pernambuco", observou.

Mesmo com várias notícias apontando que Bolsonaro pode filiar-se ao PP, ao PL ou ao Republicanos para disputar a reeleição, Meira não exclui o PTB do leque de possibilidades e afirma que esta seria a melhor opção de casa partidária para o militar da reserva em 2022. Segundo o dirigente partidário, diferentemente dos demais partidos que brigam pelo passe do chefe do Executivo, o PTB teria controle completo sobre todos os seus diretórios, o que possibilitaria que Bolsonaro tivesse palanques garantidos em todo o Brasil.

"Hoje o presidente vive um momento de indefinição. Qualquer pessoa precisa de um partido para disputar uma eleição e o presidente está sem partido já há algum tempo. E o PTB está fechado com o presidente e não é de hoje. Além disso, todos os nossos diretórios estaduais e municipais são provisórios, o que quer dizer que se por acaso algum presidente de diretório for de encontro ao estatuto do partido, de imediato nós mudamos o comando sem nenhum problema jurídico. Mas depois que o PTB se tornou a bola da vez, que o presidente externou que viria para a legenda, passamos a sofrer ataques de siglas que querem o presidente para se aproveitar do seu potencial de votos e fazer uma bancada forte de deputado federal", pontuou Meira.

Para ilustrar o cenário que mencionou, o presidente do PTB-PE citou a situação pernambucana dos partidos que podem abrigar o presidente, afirmando que, aparentemente, ele não seria apoiado por nenhum deles aqui no Estado. "O nosso partido está pronto para ter candidato a governador de Pernambuco. A situação do presidente no Estado é difícil em qualquer partido em que o presidente se filie, com exceção do PTB. Isso porque o PP, do deputado federal Eduardo da Fonte, é declaradamente ligado ao PSB e a Lula. E ele foi eleito presidente do partido, não vejo como a sigla poderia intervir nesse caso. O PL é presidido por Anderson Ferreira, que está coligado com a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, ligada ao PSDB, ao governador João Doria e ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Ele teria que implodir essa junção. E a situação do Republicanos é pior ainda, pois o deputado Silvio Costa Filho, que o preside, é declaradamente aliado do ex-presidente Lula", afirmou.

Propostas

Além de se colocar como oposição ao governo Paulo Câmara (PSB), Meira afirmou que o candidato que o PTB lançar na eleição também mostrará que a agremiação tem bons gestores. Na ocasião, o presidente do partido apresentou algumas das propostas que o seu grupo já elaborou para o pleito, como a construção de um campus para a Universidade de Pernambuco (UPE) onde hoje fica a Arena, em São Lourenço da Mata.

"Nós somos gestores, temos excelentes projetos de mobilidade para discutir com os pernambucanos, de administração da máquina pública. Se paga mais de R$ 5 milhões de aluguel por mês no Estado. Nós temos prédios abandonados, mas estamos alugando. Temos um espaço como a Arena, com quase 90 hectares, abandonado. O campus da UPE está todo espalhado em áreas nobres, nós poderíamos vender esses prédios e construir um campus na área da Arena. A sede do Governo de Pernambuco também poderia ser lá, inclusive, e o Palácio se tornaria um museu", sugeriu Meira.

O dirigente partidário falou, também, sobre as ideias do partido para a mobilidade do Estado. "Nós pensamos em assumir o metrô. O Governo de Pernambuco não tem a coragem de fazer isso. E temos que ampliá-lo, pois temos trilhos em toda a Região Metropolitana. Existem incentivos do Japão, eles já demonstraram interesse em abrirmos uma rede, levando o metrô até Abreu e Lima e até Moreno, onde tem as indústrias, e de lá se poderia colocar um trem até Caruaru", afirmou.

Comentários

Últimas notícias