Crise

'Legado do PSB', diz Miguel Coelho após Pernambuco surgir entre os Estados com maior taxa de desemprego

De acordo com o IBGE, Pernambuco, ao lado da Bahia, liderou a taxa de desemprego no País no primeiro trimestre de 2022

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 13/05/2022 às 15:47 | Atualizado em 13/05/2022 às 19:08
DIVULGAÇÃO
Miguel Coelho é pré-candidato ao Governo de Pernambuco pelo União Brasil - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Depois que o IBGE divulgou, na manhã desta sexta-feira (13), que Pernambuco, ao lado da Bahia, liderou a taxa de desemprego no País no primeiro trimestre de 2022, Miguel Coelho, pré-candidato a governador pelo União Brasil, afirmou que o cenário, além da falta de oportunidades, seriam o legado do PSB para o Estado. Segundo o instituto, Pernambuco alcançou um índice de 17% no nível de desemprego no período, número acima da média nacional, que ficou em 11,1%.

"O legado do PSB é esse: desemprego e falta de oportunidade. Mais uma vez Pernambuco no topo de um ranking que nenhum pernambucano queria ver. Falta compromisso com a vida das famílias, com a geração de renda e de empregos. O PSB virou as costas a quem empreende e só faz cobrar imposto", destacou Miguel em publicação nas suas redes sociais.

Segundo o ex-prefeito de Petrolina, cidade do Sertão do Estado, se mostra urgente a implantação de um novo modelo de gestão, para que Pernambuco possa superar índices como os divulgados hoje. "Nosso Estado precisa acabar com esse ciclo de marasmo e esquecimento. Dá para fazer muito mais e sei disso porque transformei Petrolina na cidade que mais gera empregos e oportunidades. Pernambuco tem que virar essa página e voltar a oferecer esperança a nossa gente", destacou o pré-candidato.

"É o povo sem poder garantir o sustento da família, sem esperança, sem apoio nenhum, e o PSB fingindo que o problema não existe, sem propor solução. É um governo que faz questão de virar as costas para as pessoas", completou Miguel.

Conforme as informações divulgadas pelo IBGE, o percentual de desemprego de Pernambuco permaneceu estável, na comparação com o trimestre anterior. Na comparação com o mesmo período de 2021, contudo, a redução na taxa de desocupação foi de 4,4%.

Resposta

Por meio de nota, o líder do governo na Alepe disse que Pernambuco fechou o ano de 2021 com a maior geração de empregos dos últimos dez anos, com saldo de 89.697 postos de trabalho criados. "Na pesquisa da PNAD, divulgada nesta sexta-feira, o estado registrou um crescimento de 8%, neste primeiro trimestre. São 270 mil novos postos de trabalho no comparativo com os três primeiros meses de 2021".

"Esse é o resultado do Plano Retomada e do conjunto de ações envolvendo renúncia fiscal, auxílios emergenciais e incentivos setoriais que o Governo de Pernambuco colocou em prática para reaquecer a economia e gerar emprego e renda. Falar em desemprego e nem mencionar a desastrosa gestão federal, com a maior inflação dos últimos anos, taxa de juros exorbitantes e ausência de ações de apoio aos estados faz parte dos que jogam no mesmo time: Miguel, Raquel e Bolsonaro”, Afirmou Isaltino Nascimento.

Comentários

Últimas notícias