Medida

Luisa Mell entra com medida protetiva contra ex-marido, diz colunista

Com a determinação, Gilberto Zaborowsky não poderá chegar a menos de 500 metros da ativista

Agnes Vitoriano
Agnes Vitoriano
Publicado em 07/10/2021 às 18:43
A ativista Luisa Mell (Foto: Reprodução)
A ativista Luisa Mell (Foto: Reprodução)
Leitura:

A ativista da causa animal Luisa Mell, decidiu entrar, no fim de setembro, com uma medida protetiva de urgência pela Lei Maria da Penha contra o ex-marido Gilberto Zaborowsky. Os dois se separaram em julho deste ano após um matrimônio de dez anos. As informações são do colunista Leo Dias, do portal Metrópoles.

Com a decisão, realizada no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o ex-marido fica proibido de se aproximar em menos de 500 metros de Luisa. A proibição inclui qualquer meio de contato com ela ou a ex-sogra e de frequentar locais que sejam de rotina dela.

Além disso, a medida protetiva restringe também a realização de compra, venda e locação de propriedade comum, salvo orientação judicial. Postagens marcando a ativista e seus familiares, bem como comentar em publicações deles estão inclusos na proibição.

O empresário enfrenta também a restrição de não divulgar vídeos ou fotos de Luisa, acessar contas de E-mail, celulares, redes sociais e nuvem de dados da apresentadora. Fica determinado que as visitas ao filho do casal, Enzo, só poderão ocorrer mediante a a presença de um terceiro, que será indicado pela ex-mulher.

Relacionamento abusivo

O casamento de Luisa e Gilberto teria chegado ao fim após rumores de traição por parte do empresário. Porém, a ativista revelou ter sofrido uma violência severa por parte do ex-marido.

No final de 2020, Luisa Mell foi a uma clínica fazer um procedimento com laser e o médico afirmou que ela seria anestesiada. Ao acordar, a ativista descobriu que foi submetida a uma lipoaspiração nas axilas.

O ocorrido destruiu o psicológico de Luisa, que ficou devastada com fato de dois homens, principalmente o seu então marido, terem decidido o que fazer com o corpo de uma mulher enquanto estava desacordada.

A lipoaspiração não só afetou psicologicamente, como fisicamente. O procedimento deixou uma cicatriz que não poderá ser retirada devido ao baixo peso da ativista. Assim, Luisa entrou em depressão.

No dia do Perdão, celebrado em 16 de setembro, a ativista compartilhou o relato em seu Instagram.

"Sempre tive facilidade em perdoar. Até esqueço o que me fizeram. Achava uma qualidade. Mas este ano não. Como perdoar se a dor ainda é viva? Tive o ano mais triste da minha vida. Ainda estou lutando para sobreviver ao horror que me fizeram. Como vou conseguir perdoar se ainda dói tanto? Se ainda choro quando me olho? Destruíram meu amor-próprio porque eles acharam que eu podia ficar melhor”, contou.

Comentários

Últimas notícias