SAÚDE

O que é VAGINISMO? Quais são os sintomas? Saiba como tratar a disfunção

Algumas mulheres desistem de ser mães por causa do vaginismo, o que as impede de ter relações sexuais

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 17/05/2022 às 20:44
Cliff Booth/Pexels
Vaginismo afeta autoestima das mulheres e pode impedir que sejam mães - FOTO: Cliff Booth/Pexels
Leitura:

Cerca de 18% das mulheres sentem dor durante a relação sexual e, dentro desse número, cerca de 5% são sexualmente ativas e sente dor por causa do vaginismo.

Essa condição impede muitas mulheres de serem mães, porque uma mulher com vaginismo não consegue ter uma relação sexual que a deixe grávida. Embora a maioria dos casos de vaginismo possa ser curada, a condição é dolorosa e perturbadora e faz com que muitas mulheres abandonem o sexo para sempre.

O que é vaginismo?

O vaginismo é erroneamente entendido como sexo doloroso. Na verdade, é uma condição onde alguns ou todos os tipos de penetração vaginal são impossíveis. É uma reação automática do corpo ao medo da penetração e, quando tentada, os músculos vaginais se contraem por conta própria.

“É claro que isso não exclui todos os tipos de contato sexual, mas torna a relação sexual impossível até que a condição seja totalmente tratada”, explica a fisioterapeuta pélvica, Débora Pádua, especialista neste tipo de disfunção.

O vaginismo pode gerar uma fissura vaginal e mexe com a autoestima das mulheres, muitas estas que deixam sonhos de serem mães de lado em função da condição que impede o sexo com penetração.  “Temos muitas pacientes que têm filhos. A probabilidade é muito menor, mas ela pode sim engravidar”, explica a fisioterapeuta.

Quais são os sintomas do vaginismo?

Além de afetar a vida sexual da mulher, o vaginismo também pode prejudicar o acompanhamento da saúde ginecológica. Isto porque um dos sintomas é que a mulher não consegue permitir a penetração de qualquer objeto devido à dor intensa.

Assim, a mulher com vaginismo fica impossibilitada de fazer exames ginecológicos que precisam inserir objetos na vagina. 

“Esse é o problema de muitas das nossas pacientes, pois precisam encontrar um ginecologista que entendam suas condições, sejam mais gentis e humanos, para compreender que não é possível realizar alguns exames”, avisa a especialista.

Quais são as causas do vaginismo?

O vaginismo tem causas multifatoriais, mas alguns especialistas apontam que uma das principais causas é o trauma sexual decorrente de uma experiência ruim e até mesmo abusos na infância.

Por isso, é importante que o diagnóstico do vaginismo se dê por meio de uma conversa franca entre a paciente e o médico. É durante a conversa que o profissional poderá entender melhor o histórico sexual da mulher e encontrar qual a causa da condição.

Apenas com a determinação da causa é que se pode chegar um protocolo de tratamento para o vaginismo apropriado para a situação.

Como é o tratamento do vaginismo?

O tratamento do vaginismo pode ser abordado de diferentes maneiras, mas quase sempre envolve a psicoterapia, fisioterapia pélvica e o acompanhamento com o ginecologista. Em geral, o tratamento dura entre três e seis meses, até que a mulher perca o "medo" da penetração.

Para mulheres que planejam engravidar e sofrem com a condição, é preciso buscar esse tratamento antes. “Engravidar curada do vaginismo evita desconfortos e problemas durante e após a gestação”, comenta Débora.

As mulheres são propensas a se preocupar com seus “relógios biológicos”, e o vaginismo é outra coisa que aumenta o estresse neste sentido.

“Seja solteira ou não, buscar o tratamento para o vaginismo é sinônimo de uma vida mais livre para realizar o sonho da gestação já que o vaginismo tem cura e é através da fisioterapia pélvica que tornamos possível se livrar dessa dor tão incômoda”, finaliza a fisioterapeuta.

Comentários

Últimas notícias