07
jun

Nada de TSE. Aliados de Temer estão com medo de Janot e do STF

07 / jun
Publicado por Giovanni Sandes às 11:57

Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

Diferente da época da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) às vésperas do impeachment, os aliados do presidente Michel Temer (PMDB) já estão preocupados é com o pós-Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mesmo a salvo do TSE, Temer ficará à mercê de uma denúncia-crime do procurador Geral da República, Rodrigo Janot, e do Supremo Tribunal Federal (STF). Temer mais enfraquecido deixaria de novo o País em convulsão.

 

 

Ao contrário do clima belicoso que tomou conta do País na queda de Dilma, contra Temer a pressão é grande, mas ainda sem uma sensação de “guerra total”. No vocabulário militar, é o conflito que mobiliza todos os recursos da sociedade, como políticos, jurídicos, financeiros e comerciais. No caso de Dilma se mobilizaram intelectuais, movimentos sociais e juristas – e políticos e o setor financeiro em sua maioria contra ela.

 

Entenda por que Temer cada vez mais parece Dilma

Ex-assessor de Temer usa discos de Luiz Gonzaga para esconder dinheiro

Eleições antecipadas? Em Olinda, presidente da Câmara já se reelege para 2019-2020

 

Temer hoje tem o parlamento a seu lado. O setor financeiro paga para ver: a economia dava sinais de melhora e a delação da JBS fez um strike. E ali a saída de Temer já foi precificada. O mercado só apoia as reformas. Está indiferente ao presidente.

Se Temer se salvar do TSE e for atingido por uma denúncia formal, as reformas travam de vez. Aí a tensão subirá muito.


Veja também