02
jan

Brasil reforçado no circuito mundial de surfe

02 / jan
Publicado por Alexandre Gondim às 17:27

Yago Dora. Foto: Alexandre Gondim/Blog do Surfe

Na lista dos 32 surfistas que vão disputar a temporada 2020 do World Surf League Championship Tour a única mudança entre os 22 primeiros do ranking que estão mantidos na elite, foi o catarinense Yago Dora que entrou no ligar do paulista Deivid Silva mas ambos já estavam garantidos entre os dez indicados pelo Qualifying Series. Com a troca, Yago se classificou pelo CT e Deivid pelo QS, com o australiano Morgan Cibilic ficando com a última vaga, pelo 11º lugar no ranking.

A Austrália foi quem mais se reforçou para o CT 2020, passando a igualar o número de brasileiros, que vinham sendo maioria absoluta entre os top-34 nas duas últimas temporadas. Cada um tem dez garantidos e podem ter onze, caso a WSL ofereça os convites por contusões para Adriano de Souza e Mikey Wright. Aí o Brasil ficara com o mesmo número de onze surfistas como em 2018 e 2019.

Caio Ibelli . Foto: Damien Poullenot/WSL

As novidades na “seleção brasileira” de 2020 são as voltas dos paulistas Caio Ibelli, Alex Ribeiro e Miguel Pupo. Eles irão substituir o catarinense Willian Cardoso, o paulista Jessé Mendes e o cearense Michael Rodrigues, que não conseguiram vaga em nenhuma das duas listas classificatórias e terão que disputar o QS no ano que vem.

Os sete que continuam na divisão de elite, são os campeões mundiais Italo Ferreira e Gabriel Medina, Filipe Toledo, Peterson Crisanto, Yago Dora, Jadson André e Deivid Silva.

Ítalo Ferreira

Os australianos sempre foram maioria entre os tops e perderam esse status para o Brasil nos dois últimos anos. Agora, já igualaram os dez garantidos para 2020. Em 2019 eram oito e só Soli Bailey saiu, além do contundido Mikey Wright. Mas, ganharam quatro das dez vagas do QS, como o Brasil, com Jack Robinson, Ethan Ewing, Connor O´Leary e Morgan Cibilic, sendo as novidades no time.

Essas três vagas a mais foram tiradas do Havaí e da França. Os havaianos tinham quatro integrantes e ficaram só dois, John John Florence e Seth Moniz. A França perdeu Joan Duru e dois países saíram da elite esse ano, a Itália do Leonardo Fioravanti e a Nova Zelândia do Ricardo Christie. Essas duas vagas ficaram para o campeão do QS, Frederico Morais, na volta de Portugal, e com Matthew McGillivray, subindo para dois o número de sul-africanos. Já os quatro dos Estados Unidos, um do Japão e um do Taiti, são os mesmos de 2019.

Foto: Ed Sloane/WSL

Para a estreia do surfe nas Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão, os campeões mundiais Italo Ferreira e Gabriel Medina vão disputar medalhas para o Brasil, junto com a gaúcha Tatiana Weston-Webb e a cearense Silvana Lima. Os outros classificados foram Jordy Smith pela África do Sul, Kolohe Andino e John John Florence pelos Estados Unidos, Kanoa Igarashi pelo Japão, Owen Wright e Julian Wilson pela Austrália e Jeremy Flores e Michel Bourez pela França.

2020 será um ano é tanto! vamos acompanhar a histórica participação do surfe nas Olimpíadas e a saga dos brasileiros atrás das melhores ondas do mundo.
Acompanhe por aqui!

ALOHA e avante BRASIL !


Veja também