Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
ÁUSTRIA

Evitando vacina, homem se infecta de propósito e morre vítima de Covid

De acordo com o jornal italiano II Dolomiti, o homem queria ter o "passe verde" para circular pela Europa

Letícia Saturnino
Cadastrado por
Letícia Saturnino
Publicado em 27/11/2021 às 16:52 | Atualizado em 27/11/2021 às 17:10
PATRICK T. FALLON/AFP
Cobertura vacinal para a quarta dose está em 35,9% em Pernambuco - FOTO: PATRICK T. FALLON/AFP
Leitura:

Um homem, natural de Áustria, de 55 anos, morreu após ir para um "festa da Covid" na cidade de Bolzano, na Itália, com a intenção de ser infectado pelo vírus.

De acordo com o jornal italiano II Dolomiti, o homem queria ter o "passe verde", exigido por diversos países na Europa, que dá direito de trabalhar ou acessar áreas de lazer pelo continente, sobre a condição de comprovarem vacinação completa ou provarem que se recuperaram da covid-19 nos últimos seis meses.

Segundo o médico Patrick Franzoni, coordenador da unidade anti-covid de Bolzano, as "festas da covid" são cada vez mais comuns na região dos Alpes, que inclui Áustria, França, Alemanha, Itália, Liechtenstein, Mônaco, Eslovênia e Suíça.

Ele contou ainda que, nestes eventos, pelo menos um dos convidados já testou positivo para a covid e que os outros presentes, sabendo quem é, se aproximam da pessoa para compartilhar drinques ou abraços.

"Nós recebemos mais de um relato vindo de médicos que trataram pacientes que admitiram ter sido infectados de propósito", reforçou Franzoni. "Eles fazem isso para desenvolver anticorpos e obter o 'passe verde' sem vacinação. Existem consequências a longo prazo e até mesmo pessoas jovens podem parar no hospital", alertou o profissional após a morte do austríaco, que não teve a identidade divulgada.

A morte do austríaco foi registrada na semana passada, dias antes do governo do país anunciar que a vacina contra a doença será obrigatória a partir de fevereiro de 2022. Com a regra, quem se recusar a receber o imunizante terá de pagar multas de 3.600 euros, o equivalente a R$ 22,5 mil.

Com informações do Uol.

Comentários

Últimas notícias