02
out

Policial investigado após denunciar que as delegacias estão fechadas à noite

02 / out
Publicado por Raphael Guerra às 7:08

Sinpol-PE afirma que delegacias não funcionam 24 horas por dia. Foto: TV Jornal/Reprodução

O  Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) afirma que está sofrendo perseguição do Governo do Estado após a denúncia de que várias delegacias continuam fechadas à noite e nos finais de semana.

Segundo o sindicato, o policial civil Áureo Cisneiros, presidente licenciado, vai responder a um processo administrativo após usar as redes sociais, no mês passado, para denunciar o problema. A postagem foi feita após o governador Paulo Câmara, candidato à reeleição, afirmar, em entrevista à TV Jornal, que todas as delegacias do Estado funcionam 24 horas por dia.

No vídeo, Cisneiros mostra várias unidades policiais fechadas após às 18h, desmentindo as declarações do governador. O sindicalista está afastado das atividades para concorrer a uma vaga de deputado estadual.

O problema das delegacias já foi denunciado inúmeras vezes no Ronda JC.

O Governo do Estado argumenta que algumas delegacias funcionam com equipes completas para a realização de prisões em flagrantes. E que outras unidades (a exemplo do Ipsep, Joana Bezerra e Ibura) contam com apenas um policial de plantão – para registrar boletins de ocorrência.

POSICIONAMENTO DO SINPOL-PE

“A perseguição aos dirigentes do Sinpol não para. Mais uma vez o Governo faz uso da Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social para tentar calar Áureo Cisneiros e o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco. Áureo já responde a outros 15 processos administrativos por denunciar problemas na Polícia Civil de Pernambuco e também nas unidades do IML. “Todos os processos contra Áureo versam sobre reivindicações por condições mínimas de trabalho, de material de proteção individual, de estrutura para delegacias e institutos e por cobrar a contratação de pessoal. Ou seja, por exercer, estritamente a atividade sindical em prol de melhores condições para os Policiais Civis e a população pernambucana”, informou trecho da nota.

SDS SE PRONUNCIA

No final da tarde dessa terça-feira (02), a Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social enviou nota oficial. No texto, a assessoria não comentou o processo administrativo citado na reportagem, mas informou que Áureo “está respondendo a uma transgressão disciplinar por não ter se apresentado à Diretoria de Recursos Humanos da Polícia Civil de Pernambuco após ter finalizado seu mandato classista como presidente do Sinpol”.

LEIA TAMBÉM

Faltam papel, tinta para impressora e até internet nas delegacias

De cada 100 assaltos nas ruas, só 4 investigações são concluídas


Veja também