Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol em Pernambuco, do Nordeste, Brasil e do mundo
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, além do futebol nacional e internacional. Com análise, interatividade e opinião

TRICOLOR DO ARRUDA

Em documento, Santa Cruz acusa fabricante de produtos da Cobra Coral de não repassar royalties ao clube

Segundo o documento, os valores não eram repassados ao Tricolor desde 2019, o que representaria um prejuízo superior a R$ 903 mil

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 16/07/2021 às 13:38
Notícia
SANTA CRUZ FC / DIVULGAÇÃO
Além de cobrar o repasse de royalties, o Santa Cruz quer que a empresa pague uma multa de R$ 2 milhões por descumprimento do contrato - FOTO: SANTA CRUZ FC / DIVULGAÇÃO
Leitura:

A novela envolvendo o Santa Cruz, a Cobra Coral e a fabricação de materiais esportivos do clube parece estar longe de acabar. Após o clube do Arruda comunicar que encerrará o atual contrato de produção dos materiais da sua marca própria, um documento obtido pelo JC e pelo Blog Torcedor mostra que entre os principais motivos que levaram ao fim da relação comercial com a Cobra Coral estaria a descoberta de royalties não repassados ao Tricolor desde 2019, o que representaria um prejuízo superior a R$ 903 mil.

“Do que se extrai das últimas apresentações de relatório de faturamento e pagamento de royalties e dos balanços financeiros contábeis do clube, tem-se que o licenciado (fabricante LWGA) não vêm repassando ao Santa Cruz Futebol Clube os royalties devidos em razão do faturamento de seus produtos para a rede de lojas intitulada Cobra Coral”, diz trecho do documento assinado pelo presidente tricolor, Joaquim Bezerra.

Ainda segundo o documento, a LWGA, atualmente responsável pela confecção dos produtos da Cobra Coral teria faturado nos últimos anos cerca de R$ 5 milhões com vendas de varejo. Por isso, o clube abriu um processo interno de investigação e solicitou à fabricante a apresentação de todos os comprovantes fiscais dos produtos que vendeu desde 2017, quando a marca foi criada.

Multa milionária

Além de cobrar o repasse de royalties, o Santa Cruz quer que a empresa pague uma multa de R$ 2 milhões por descumprimento do contrato, somadas com as perdas e danos. Caso isso se concretize, o clube pode receber nos próximos meses aproximadamente R$ 3 milhões.

No documento, o Tricolor do Arruda ainda afirma que a cobrança dos royalties recebeu aval da Comissão Jurídica do Conselho Deliberativo do clube. O conselho deve se reunir em breve para ser informado sobre o caso.

Leia a íntegra do documento

Volt confirmada

Por meio das redes sociais, no fim da noite dessa quinta-feira, o Santa Cruz oficializou o acerto com a nova fornecedora de material esportivo, a Volt. Segundo a publicação do clube tricolor, a nova parceira irá trabalhar junto com a marca Cobra Coral. 

O acerto, segundo divulgou o Santa Cruz, trará mais benefícios. Entre os citados, o aumento no percentual em cima das vendas dos produtos, antecipação de verba, garantia de valor mínimo, aumento no número de peças entregues ao clube (o enxoval), auditoria mensal e descontos exclusivos.

Outro ponto destacado pelo Tricolor do Arruda é a manutenção da marca, lojas e colaboradores da Cobra Coral. Ambas as marcas serão usadas juntas, assim como material de divulgação nas redes sociais.

Receio

A noite dessa quarta-feira (14) não foi muito agradável para a relação entre o Santa Cruz e o torcedor Tricolor. Próximo de anunciar a marca brasileira Volt Sport como fornecedora dos materiais esportivos, a diretoria do clube acabou mexendo no "bem" que a torcida do Santa Cruz mais valorizava: a Cobra Coral, marca própria do Tricolor.

A vinda da Volt já era especulada no clube antes mesmo do presidente Joaquim Bezerra contar publicamente sobre a proposta feita pela marca brasileira ao Santa Cruz, durante protesto de uma torcida organizada na sede do clube. Estampando os uniformes Corais desde 2017, o torcedor Tricolor não recebeu bem a notícia da mudança da fornecedora.

Mesmo o Santa Cruz negando a extinção da Cobra Coral por ser marca própria, o torcedor teme que a qualidade dos padrões irão decair, em relação aos produzidos pela Bomache, fábrica responsável pela produção dos padrões atuais, lançados no final de 2020.

Volt

Nova no mercado, a Volt foi anunciada no Remo-PA na quarta-feira (14). O clube paraense, antes patrocinada pela Kappa, tem uma linha paralela produtos casuais que estampava a "Rei", sua marca própria. Agora no futebol do Pará, a Volt já estava presente no Campeonato Brasileiro vestindo o América-MG, o Botafogo-SP e o CSA-AL.

Comentários

Últimas notícias