Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

Flamengo

Flamengo de Jorge Jesus x Flamengo de Renato Gaúcho; comparação antes da final da Libertadores

Com português, time de 2019 foi campeão da Libertadores. Renato conseguirá repetir o feito?

Victor Peixoto
Victor Peixoto
Publicado em 26/11/2021 às 12:14
REPRODUÇÃO
Renato Gaúcho lida com comparações com Jorge Jesus no Flamengo - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

Longe da espera que teve que aguentar da última vez, no próximo sábado, com transmissão exclusiva, na TV aberta, do SBT/TV Jornal, o Flamengo voltará a decidir uma final de Libertadores. O adversário da vez é o Palmeiras, atual campeão da competição e que se tornou, pelos títulos conquistados, poder de investimento e elenco, um grande rival do time carioca nos últimos anos.

Jornalista crava saída de Renato Gaúcho do Flamengo; confira

Jorge Jesus "pega ar" e se revolta em entrevista após empate entre Barcelona x Benfica; veja vídeo

Craque do Flamengo explica detalhes que diferenciam Jorge Jesus; confira 

Mas, de lá pra cá, o que mudou?

Sem sombra de dúvidas, a maior diferença quando se olha pro Flamengo de hoje e se compara com o que venceu o River de 2019 é o treinador. Jorge Jesus marcou história no clube e no futebol brasileiro. Foram mais títulos do que derrotas.

O português ergueu cinco troféus (Libertadores, Brasileirão, Recopa Sul-americana, Supercopa do Brasil e Carioca) e sofreu apenas quatro derrotas, uma delas para o poderoso Liverpool de van Dijk, Salah e Mané, na final do Mundial de Clubes.

Além disso, jogava um futebol extremamente ofensivo e vistoso sem abrir mão de uma defesa sólida, tanto que encerrou sua passagem de 58 jogos com 129 gols marcados, média de 2,22 por jogo. 0,81 de média por jogo.

Já Renato Gaúcho mantém, com 35 jogos, 14 a menos que o português, números muito parecidos com o do português. Sob o comando do ídolo, como jogador, o Flamengo também perdeu apenas 4 jogos e soma 82 gols marcados com uma média de 2,34 por jogo, vitória magra pro brasileiro.

Defensivamente, temos um empate técnico. Renato sofreu 28 gols até aqui e mantém média de 0,80. Pesa em seus desfavor, no entanto, algumas goleadas sofridas no caminho.

Em aproveitamento, Jorge Jesus fechou com 82,75%, foram 44 vitórias, 10 empates e 4 derrotas. Já Renato Gaúcho vem, mesmo com bons números, consideravelmente atrás. São 24 vitórias, 7 empates e 4 derrotas que formam um aproveitamento de 75.23%.

Mas, o torcedor, no fim, não quer saber de números, mas sim, de títulos. É por isso que, mesmo com números tão parecidos, Renato Gaúcho é questionado.

A altura da decisão contra o River, Jorge Jesus também havia sido eliminado para o Athletico Paranaense na Copa do Brasil, o que lhe rendeu algumas críticas da torcida e da imprensa, mas já havia vencido o Carioca, que Renato sequer disputou, e nadava de braçada no Brasileirão, que conquistou 24 horas depois do título da Libertadores mesmo sem entrar em campo.

Renato Gaúcho, por sua vez, teve uma eliminação ainda mais impactante pro Furacão. Se o português caiu nos pênaltis e a responsabilidade foi dividida com Diego, que errou uma das cobranças, o atual comandante rubro-negro levou 3 x 0 em pleno Maracanã.

Soma-se a isso a grande probabilidade de não vencer o Campeonato Brasileiro. São 9 pontos de diferença pro líder Atlético Mineiro, a quem o Flamengo derrotou há algumas semanas, mas, pesaram os empate com América Mineiro e Athletico Paranaense, ambos no fim do jogo, além de outro empate, com o Cuiabá, e a derrota no clássico para o Fluminense, que, ainda por cima, intercalaram a eliminação na Copa do Brasil.

Em peças no elenco, o time mantém a mesma base, mas com mudanças pontuais. Gabigol, Bruno Henrique, Diego Alves, Arão, Filipe Luís e Arrascaeta, que passou bom tempo da "Era Renato" lesionado, mantém a espinha dorsal da equipe.

Nomes como Gerson, Rafinha e Pablo Marí são as principais mudanças do time campeão 2019 para o que vai tentar o feito em 2021. Mas se faltam eles, chegaram Isla, Andreas Pereira e David Luiz, além de outras belíssimas opções no banco de reservas como Pedro e Michael.

Adversários no caminho até a final

Tanto Jorge Jesus, quanto Renato Gaúcho não comandaram o Flamengo em todas as partidas da Libertadores, ambos iniciaram os trabalho nas oitavas-de-final da competição. O "Mister" assumiu a vaga de Abel Braga, já Renato, a de Rogério Ceni.

Jorge Jesus

Oitavas-de-Final: Emelec 2 x 0 Flamengo / Flamengo 2 (4) x (2) Emelec

Quartas-de-Final: Flamengo 2 x 0 Internacional / Internacional 1 x 1 Flamengo

Semifinal: Grêmio 1 x 1 Flamengo / Flamengo 5 x 0 Grêmio

Renato Gaúcho

Oitavas-de-Final: Defensa y Justicia 0 x 1 Flamengo / Flamengo 4 x 1 Defensa y Justicia

Quartas-de-Final: Olimpia 1 x 4 Flamengo / Flamengo 5 x 1 Olimpia

Semifinal: Flamengo 2 x 0 Barcelona de Guayaquil / Barcelona de Guayaquil 0 x 2 Flamengo

Números

No papel, o caminho de Renato Gaúcho foi mais fácil que o de Jorge Jesus, que teve que, além de tirar uma vantagem de 2 x 0 contra o Emelec, enfrentar dois times brasileiros.

Em compensação, a equipe comandada pelo brasileiro não teve dificuldade em nenhuma das fases e cumpriu o que se esperava contra adversários d e menor nível de enfrentamento.

Além disso, venceu todos os seis jogos que disputou, marcando 18 gols e sofrendo apenas 3. Números superiores ao de Jorge Jesus, que venceu três partidas, empatou duas e perdeu uma, marcando 11 gols e sofrendo quatro.

Na final do próximo sábado, o retrospecto é positivo para quem veste vermelho e preto. A última vitória do Palmeiras no confronto foi no Brasileirão de 2017, 2 x 0, no Allianz Parque, pela 34ª rodada. De lá pra cá, foram 6 vitórias do Flamengo e 3 empates.

Mas, apenas uma delas sob o comando de Renato Gaúcho, que sofreu contra o alviverde enquanto treinava o Grêmio, foram 12 jogos, apenas 2 vitórias, 3 empates e 7 derrotas, duas delas nas finais da Copa do Brasil de 2020.

Em compensação, no único confronto pela Libertadores, deu Renato. Pelas quartas-de-final de 2019, derrota por 1 x 0 em Porto Alegre e vitória por 2 x 1 em São Paulo. Depois, eliminação para o próprio Flamengo, que viria a ser o campeão.

Comentários

Últimas notícias