Caso Lázaro Barbosa

Como Lázaro morreu? Veja o que se sabe sobre o fim da caçada ao "serial killer de Brasília"

O ‘serial killer do DF’ - como era conhecido pelos internautas -, era procurado desde o dia 9 de junho após, supostamente, assassinar uma família de quatro pessoas em Ceilândia, no Distrito Federal

Douglas Hacknen Julianna Valença
Douglas Hacknen
Julianna Valença
Publicado em 28/06/2021 às 16:27
Notícia
Divulgação/Polícia Civil
Lázaro Barbosa foi morto no dia 28 de junho em confronto com policiais da força-tarefa que fazia buscar por ele há 20 dias - FOTO: Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

Nesta segunda-feira (28), o foragido Lázaro Barbosa de Souza, de 32 anos, foi capturado e morto em operação policial, no município de Águas Lindas de Goiás. O ‘serial killer do DF’ - como era conhecido pelos internautas -, era procurado desde o dia 9 de junho após, supostamente, assassinar uma família de quatro pessoas em Ceilândia, no Distrito Federal.



Mais de 250 policiais - entre policiais militar, civil e federal de Goiás e do Distrito Federal -, estavam envolvidos nas buscas por Lázaro Barbosa de Sousa, em Cocalzinho de Goiás. Foram utilizados nas buscas três helicópteros, cães farejadores, equipes munidas de equipamentos de visão noturna e térmica, drones e profissionais da inteligência. Os agentes também contaram com 40 rádios comunicadores cedidos pelo exército brasileiro.


Operação de captura


Segundo informações da polícia, o foragido Lázaro Barbosa de Souza foi atingido em uma troca de tiros com a polícia na manhã desta segunda-feira (28), no município de Águas Lindas de Goiás. O homem chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal Bom Jesus, mas não resistiu aos vários ferimentos de bala pelo corpo.


O criminoso estava sendo monitorado pelos agentes após visitar a ex-esposa e ex-sogra na noite do último domingo (27). Após localizar o homem, ele foi cercado por agentes terrestres e helicóptero. Após ser dado como morto, os moradores da região e policiais comemoraram o fim da caçada de Lázaro Barbosa.



Segundo o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, a quantia encontrada com Lázaro reforça as informações de que o criminoso estava recebendo ajuda de outras pessoas para fugir. Segundo o secretário, o homem poderia estar atuando como jagunço e segurança de algumas pessoas da região. “Além da arma, ele foi encontrado com ele cerca de R$4.400 no bolso. Isso é mais uma prova de que tem gente acobertando ele e dificultando o trabalho dos policiais”, declarou Rodney.

 

Ainda segundo declarações do secretário, a polícia iria executar mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira, mas precisou adiar por causa da captura do fugitivo. “As investigações não acabaram aqui. Ainda temos algumas pessoas para investigar e prender, mas os principais que seriam o empresário, que seria o chefe da investigação, e o psicopata, já não são mais problema”, completou Rodney Miranda.

 

Investigação

 De acordo com secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, a dificuldade da operação se dava pelo fato de Lázaro Barbosa conseguir se esconder muito bem em matas, córregos, rios e grutas da região, o que dificultou o trabalho de buscas. Os agentes estavam há 20 dias nas operações de investigação e buscas pelo suspeito.

 

Ainda de acordo com declarações do secretário, desta vez em coletiva de imprensa após a morte do criminoso, a polícia não encerrou as investigações ainda. Rodney afirmou que iriam executar mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira, mas precisou adiar por causa da captura do fugitivo.

 

“As investigações não acabaram aqui. Ainda temos algumas pessoas para investigar e prender, mas os principais que seriam o empresário, que seria o chefe da investigação, e o psicopata, já não são mais problema”, declarou Rodney Miranda.

Lázaro recebia ajuda de outras pessoas

 Os agentes prenderam no dia 26 de junho um fazendeiro e um caseiro suspeitos de auxiliarem na fuga de Lázaro Barbosa. Ambos os homens davam suporte ao fugitivo com comida, local para dormir e descansar.

O caseiro colaborou com a polícia com informações sobre o dia a dia das ajudas à Lázaro e recebeu liberdade provisória. Segundo depoimento do caseiro, o patrão dele - o fazendeiro -, era amigo da família de Lázaro Barbosa e o fugitivo dormia na fazenda nos dias 18 a 23 de junho.



Ainda segundo o depoimento do homem, o patrão gritava "Vem almoçar Lázaro", em direção a mata, para chamar o foragido para a refeição. À noite o patrão gritava novamente "a porta vai ficar aberta", para que ele fosse dormir na propriedade. conforme o depoimento.


A defesa do fazendeiro negou que o cliente tenha abrigado o ‘serial killer do DF’.

 

Linha do tempo dos crimes


2007

Preso em Barra Mendes, na Bahia, pelo crime de duplo homicídio, mas fugiu da prisão depois de 10 dias.

2009

Preso no DF pelos crimes de roubo, estupro e porte de arma.

2013

Laudo aponta características de personalidade como "agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade".

2014

Passa para o semiaberto e é beneficiado com trabalho externo.

2016

Foge da unidade prisional do regime semiaberto.

Março de 2018

Lázaro é recapturado.

Julho de 2018

Foge do Presídio de Águas Lindas de Goiás (GO).

2019

Justiça expediu novo mandado de prisão.

2021

26 de abril: Lázaro teria invadido uma casa no Sol Nascente.

17 de maio: fez uma família refém na mesma região.

9 de junho: teria cometido um triplo homicídio em uma chácara, no Incra 9, em Ceilândia (DF).

10 de junho: rendeu o proprietário de uma fazenda, a filha dele e o caseiro.

12 de junho: Polícia encontra corpo de vítima no Córrego da Cascalheira, localizado no meio da mata entre a BR-070 e a DF-180.

13 de junho: furtou um carro e o abandonou na BR-070, depois, ele continuou a fuga, pela mata.

14 de junho: Polícias do DF e de Goiás fizeram um cerco em 34 propriedades rurais da região e continuaram as buscas

15 de junho: fez três pessoas de reféns e atingiu policial no rosto com disparo de arma de fogo

Comentários

Últimas notícias