UNIVERSIDADE

Bolsonaro nomeia Alfredo Gomes, candidato mais votado, como novo reitor da UFPE

Alfredo assume o cargo a partir de 13 de outubro, um dia após encerrar o mandato do atual reitor, Anísio Brasileiro

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 10/10/2019 às 7:02
Notícia
Foto: Reprodução/Facebook
Alfredo assume o cargo a partir de 13 de outubro, um dia após encerrar o mandato do atual reitor, Anísio Brasileiro - Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) nomeou nessa quarta-feira (9) o professor Alfredo Gomes como reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O ato do presidente nomeando o docente, que foi o candidato mais votado pela comunidade universitária numa consulta acadêmica em dois turnos, foi publicado na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira (10).

Na segunda-feira (7), o Ministério da Educação (MEC) havia informado que a nomeação do novo reitor - sem especificar quem seria - aconteceria até o fim desta semana.

Segundo o Diário Oficial, Alfredo assume o cargo a partir de 13 de outubro, um dia após encerrar o mandato do atual reitor da UFPE, Anísio Brasileiro. Depois da posse, caberá ao novo dirigente da universidade nomear seu vice-reitor. A expectativa é que o professor do Centro  de Tecnologia e Geociências (CTG), Moacyr Araújo, que compôs a chapa com Alfredo seja o escolhido

Lista tríplice

A lista tríplice com os três nomes referendados pelo Conselho Universitário para a reitoria foi recebida pelo MEC há quase três meses. O órgão teve acesso ao resultado no dia 18 de julho, data em que a correspondência enviada pela UFPE chegou à pasta. Além de Alfredo Gomes, atual diretor do Centro de Educação (CE), faziam parte da lista os professores Ricardo Medeiros, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), e Sérgio Abranches, também do CE.

 

Apesar de alunos, docentes e técnicos participarem da consulta para escolher o reitor, a nomeação, por lei, é prerrogativa do presidente do Brasil. No entendimento do governo federal, não existe hierarquia na lista tríplice. Mas o pedido da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) é de que seja respeitado o desejo da comunidade universitária, com a indicação do candidato que tem maior quantidade de votos.

Em pelo menos cinco universidades – UFGD, UFTM, Unirio, UFRB e UFC – o escolhido por Bolsonaro não foi o primeiro colocado da lista. No último dia 30, o Conselho Universitário da Universidade Federal da Fronteira Sul, de Santa Catarina, aprovou pedido de destituição do reitor Marcelo Recktenvald, nomeado pelo presidente e que era o terceiro da lista tríplice.

Ação na Justiça

Na segunda-feira (7), o grupo 'Docentes pela Liberdade' ingressou com ação popular na Justiça Federal para derrubar a lista tríplice elaborada pelo Conselho Universitário que, segundo o grupo, mudou o Estatuto da UFPE para beneficiar Alfredo Gomes, e, consequentemente, cancelar o pleito.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias