RECUPERAÇÃO

'A experiência vai me ajudar a ajudar outros', diz vítima de acidente com kart

Débora, que está internada em Ribeirão Preto desde o domingo (18), utilizou as redes sociais para agradecer o carinho que tem recebido

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 21/08/2019 às 19:46
Notícia
Foto: Reprodução
Débora, que está internada em Ribeirão Preto desde o domingo (18), utilizou as redes sociais para agradecer o carinho que tem recebido - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

A auxiliar de ensino infantil Débora Esthefany Dantas de Oliveira, de 19 anos, utilizou uma rede social na noite desta quarta-feira (21) para agradecer o carinho que tem recebido desde o acidente que sofreu no último dia 11, em uma pista de kart, na Zona Sul da capital. Ela segue internada no Hospital Especializado de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, onde passará por cirurgia nesta quinta-feira (22) e no próximo sábado (24)

"Quero agradecer a todas as pessoas que estão orando e torcendo por mim. Infelizmente, não conseguirei responder todas, entretanto prometo que tentarei ler todas as mensagens, pois sei que são de carinho. Eu só quero dizer que estou muito bem e toda essa experiência vai me ajudar a ajudar as pessoas quando eu for médica. Eu tenho certeza de que vai dar tudo certo, esse é o meu lema", escreveu Débora. 

A jovem será submetida nesta quinta-feira  a uma cirurgia para reconstrução das pálpebras, que foram arrancadas junto ao couro cabeludo. Débora está internada desde o último domingo (18) no Hospital Especializado, que é referência no País em microcirurgias de alta complexidade. No sábado, a equipe realizará o transplante microcirúrgico para o couro cabeludo. O procedimento contará com a presença do médico Marco Maricevich, que atua em Houston, nos Estados Unidos, e acompanha o caso desde quando Débora estava internada no Hospital da Restauração (HR), no Recife.

O especialista chega à cidade, no interior de São Paulo, nesta sexta-feira (23) e, portanto, não participa do procedimento de reconstrução das pálpebras. O desafio maior é a cirurgia de sábado, quando os médicos devem utilizar parte do tecido muscular do dorso de Débora para revestir o crânio, que atualmente está exposto. Somente depois disso, os enxertos de pele poderão ser feitos. A cirurgia do fim de semana é delicada e deve durar cerca de sete horas.

Em entrevista à EPTV, filiada da Rede Globo local, o médico Daniel Lazo afirmou que as seis primeiras semanas são cruciais, mas o tratamento pode se estender pelos próximos dois anos, com procedimentos cirúrgicos que melhorem as funções dos tecidos e a estética da jovem.

Débora chegou a Ribeirão Preto na noite de domingo. Antes, estava internada no HR, na área Central do Recife. Na capital pernambucana, ela chegou a ter o couro cabeludo reimplantado. O procedimento foi acompanhado, por videoconferência, pelo médico Marco Maricevich, especialista com experiência em casos complexos como o de Débora. Foi ele quem recomendou a transferência da jovem para o Hospital Especializado, que realiza diariamente procedimentos de reconstrução. Em uma primeira abordagem cirúrgica, já em São Paulo, foi constatada a perda do implante, devido à trombose venosa.

Vaquinha

Com o intuito de cooperar no custeamento da recuperação física, mental e social de Débora, a comunidade do Desafio Pernambucano de Kart indoor (DPKin) criou uma vaquinha virtual para a jovem. O espírito solidário já atingiu 81 pessoas até o meio-dia desta quarta-feira (21) que, juntas, ofertaram cerca de oito mil reais.

O recifense Aureliano Correia Faria Neto, de 40 anos, é o integrante da comissão organizadora da DPKin e conta que o grupo se sensibilizou ao ouvir sobre a história da jovem e decidiu ajudá-la. ‘Nossa intenção é de reunir o dinheiro para que ela possa se sustentar financeiramente até voltar a exercer as atividades rotineiras', disse Neto.

De acordo com o membro, o combinado com a família de Débora é de que quando a vaquinha for encerrada e atingir o objetivo de 50 mil reais arrecadados, o valor será entregue diretamente para a conta da vítima. ‘O valor não será direcionado para o tratamento, porque sabemos que as empresas responsáveis estão custeando, mas sim para sua recuperação dela', completou o competidor.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias