PRÊMIO

Projeto #UmaPorUma é indicado ao Prêmio Gabo de jornalismo 2019

Premiação reconhece os melhores trabalhos jornalísticos da Ibero-América

JC Online
JC Online
Publicado em 12/09/2019 às 15:05
Foto: Léo Motta/JC Imagem
Premiação reconhece os melhores trabalhos jornalísticos da Ibero-América - FOTO: Foto: Léo Motta/JC Imagem
Leitura:

O projeto #UmaPorUma, desenvolvido pelo Sistema Jornal do Commercio de Comunicação é indicado do Prêmio Gabo de 2019 na categoria Cobertura. A premiação reconhece os melhores trabalhos jornalísticos da Ibero-América, distribuídos em quatro categorias: Texto, Imagem, Cobertura e Inovação. Nesta edição, 1730 trabalhos foram inscritos e 40 foram pré-selecionados, sendo dez por categoria. A iniciativa pioneira na imprensa brasileira teve a coordenação de Julliana de Melo e Ciara Carvalho e a colaboração de outras 29 jornalistas mulheres do SJCC. O projeto pôs luz sobre as histórias de todas as mulheres assassinadas em Pernambuco durante o ano de 2018. 

Desde a sua concepção, o #UmaPorUma teve a intenção de informar e conscientizar as mulheres e informar e sensibilizar os homens com matérias de investigação e análise sobre feminicídios.

"É uma honra fazer parte de uma seleção tão rigorosa que premia os melhores trabalhos jornalísticos da América Latina. Esse prêmio, em especial, carrega o legado do seu fundador, o escritor colombiano Gabriel García Márquez, um apaixonado pelo jornalismo investigativo e de qualidade", afirmou Ciara Carvalho, uma das coordenadoras do #UmaPorUma.

Durante um ano de monitoramento e publicações, o projeto deu visibilidade aos casos de feminicídio e ajudou a pressionar as autoridades brasileiras a identificar com mais precisão o crime de gênero - o #UmaPorUma contabilizou oito feminicídios a mais do que o número oficial do Governo de Pernambuco. Desde sua estreia, no dia 29 de abril de 2018, até o mês de fechamento dos dados do ano em 28 de fevereiro de 2019, o projeto somou 235.578 páginas vistas e 109.209 usuários únicos. Além disso, o conteúdo chegou para 57,2% do público feminino e 42,8% do masculino.

"Para nós, é o reconhecimento do esforço coletivo do grupo de jornalistas do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação que abraçou a causa do combate à violência de gênero, assumindo o compromisso de acompanhar todos os casos, até o desfecho do julgamento dos acusados", destacou Julliana de Melo, que também coordena o projeto.

O alcance do site também foi além do território pernambucano, obtendo audiência relevante em outras cidades brasileiras, como São Paulo, responsável por 25,05% dos acessos.

Além do Uma Por Uma, também são indicado na mesma categoria os projetos  Crise do clima, da Folha de S.Paulo, El caso máster, do Eldiarioes da Espanha, El país de las dos mil fosas, publicado no A dónde van los desaparecidos, do mexicano Quinto Elemento Lab, o Especial Fome, da  Agência Brasil, Frontera cautiva, publicado no Forbidden Stories da Francia, La Liga Contra el Silencio da Colômbia, Verdad Abierta da Colômbia, GK, La Barra Espaciadora e Plan V do Equador e OCCRP, La noche más larga, publicado no Radio Ambulante da Colômbia, Los cuadernos de las coimas, publicado no La da Argentina, O maior escândalo sexual do esporte brasileiro, da TV Globo e, por fim, Venezuela sin datos, publicado no Efecto Cocuyo da Venezuela. 

Uma nova rodada de julgamento selecionará três dos dez trabalhos para uma nova final, que definirá um ganhador para cada categoria do Gabo. Estes vencedores serão conhecidos no dia 3 de outubro, na cerimônia de premiação que será realizada no Jardín Botánico de Medellín, na Colômbia, durante o Festival Gabo.

Outros prêmios 

A contribuição do #UmaPorUma para o combate à violência contra a mulher já foi reconhecida em prêmios nacionais, como a 40ª edição do Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos, o principal do País na área, e o 24º Prêmio Cristina Tavares de Jornalismo, além do 7º Prêmio Amaerj Patrícia Acioli de Direitos Humanos e o 7º Prêmio República de Valorização do Ministério Público Federal. 

A iniciativa foi apresentada em evento promovido pelo Centro para a Liderança Mundial das Mulheres (CWGL, na sigla em inglês) na Cidade do México, em encontro que reuniu lideranças femininas, pesquisadoras e jornalistas da América Latina para discutir estratégias de enfrentamento e erradicação da violência de gênero no mundo. No evento, o #UmaporUma foi destacado pelo potencial de ser replicável em outras regiões e já virou objeto de estudo acadêmico de dissertações de mestrado da Universidade Federal de Pernambuco e da Universidade Federal da Paraíba. Na 2ª fase do projeto, em curso em 2019, a equipe segue acompanhando cada um dos assassinatos de 2018, até o julgamento dos acusados.

Fazem parte do #UmaPorUma

Reportagem: Adriana Guarda, Adriana Victor, Amanda Azevedo, Amanda Miranda, Amanda Rainheri, Anneliese Pires, Ana Maria Miranda, Bianca Bion, Ciara Carvalho, Cinthia Ferreira, Diana Moura, Elaine Santana, Eugênia Bezerra, Giovanna Torreão, Ísis Lima, Ismaela Silva, Juliana Oliveira, Julliana de Melo, Karoline Albuquerque, Laís Reynaux, Luiza Freitas, Mariana Dantas, Marina Padilha, Marília Banholzer, Mayra Cavalcanti, Milenna Gomes, Mona Lisa Dourado, Renata Lima, Roberta Soares, Vanessa Cortez e Vanessa Silva

Diretoria: Laurindo Ferreira, Maria Luiza Borges e Beatriz Ivo

Edição: Diogo Menezes, Betânia Santana e Gustavo Belarmino

JC Imagem: Arnaldo Carvalho, Heudes Regis, Bobby Fabisak, Diego Nigro, Felipe Ribeiro e Sérgio Bernardo

Design: Bruno Falcone Stamford, Karla Tenório, Moisés Falcão, Bruno de Carvalho, Eudes Belmiro, Eduardo Mafra e Ronaldo Câmara

Multimídia: Eriberto Pereira, Victória Gama, Tathiane Santos, Catarina Farias e Diogo Azevedo

Últimas notícias