Crise ambiental

Por conta das manchas de óleo, São José da Coroa Grande, no Litoral Sul de Pernambuco, decreta estado de emergência

Estados como Bahia e Sergipe também já haviam decretado estado de emergência

JC Online
JC Online
Publicado em 17/10/2019 às 22:02
Notícia
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
FOTO: Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 22h52

Em menos de 24 horas após o reaparecimento de manchas de óleo nas praias de São José da Coroa Grande, no Litoral Sul de Pernambuco, a prefeitura do município decretou, na noite desta quinta-feira (17), estado de emergência na região. Lembrando que no dia 25 de setembro, os moradores já haviam encontrados fragmentos de óleo nas praias. 

O decreto, que já foi assinado, será publicado no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (18) e começará a vigorar automaticamente. Ainda nesta sexta-feira, o governo realizará, às 5h30, um novo sobrevoo no Litoral Sul para identificar possíveis focos de poluição nas praias do Litoral Sul. Hoje, seis toneis de combustível foram coletados em São José da Coroa Grande, na divisa com Alagoas.

A Marinha enviou 107 homens com 5 carros 4x4 e a Capitania dos Portos irá mandar 2 barcos para fazer a inspeção em toda orla do município.

Antes de Pernambuco, Bahia e Sergipe também já haviam decretado estado de emergência em algumas localidades.

A reunião

Na noite de hoje, após reunião envolvendo Marinha, Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco (Codecipe), Defesa Civil do município, Bombeiros, representantes da Petrobras e membros da sociedade civil de São José da Coroa Grande, o prefeito Jaziel Lages (Patri) explicou que haverá o mutirão nos trabalhos será reforçado a partir de agora na tentativa de contenção do óleo que já começa a causar estragos na região.

Segundo explicou Jaziel Lages, durante a reunião, o principal foco está na foz dos rios Una e Piscinunga, por conta do estuário de mangue onde o óleo já chegou. No local, há uma população ribeirinha de cerca de 3 mil habitantes que dependem do rio para trabalhar.

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
- Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
- Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
- Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
- Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem

 

O que é estado de emergência?

Também usado em casos de desastres naturais (ainda não está confirmado o crime ambiental), o estado de emergência é importante porque dará celeridade na liberação de recursos financeiros, das esferas federal e estadual. Com isso, a prefeitura terá verba para melhorar a infraestrutura no combate ao avanço do óleo no município, adquirir materiais específicos para a remoção do óleo e ajudar as famílias atingidas com comida e água potável, por exemplo. O auxílio pode ser solicitado sempre que necessário, inclusive em situações recorrentes.

Como será feito o sobrevoo

Nesta sexta-feira (18), além do sobrevoo pelo Litoral Sul, haverá um aumento na quantidade de profissionais mobilizados para conter o avanço das manchas.

"O próximo passo é fazer um novo monitoramento amanhã de manhã. A partir das 5h30, uma aeronave da Secretaria de Defesa Social (SDS) com técnico da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) vai fazer um novo sobrevoo por todo o Litoral Sul. Identificada alguma mancha, algum movimento, as equipes estão mobilizadas. Hoje, foram 70 pessoas. Amanhã, vamos ter cerca de 200 pessoas mobilizadas", disse o secretário.

A lista de 70 profissionais mobilizados nesta quinta-feira (17), no Litoral Sul, incluiu funcionários das prefeituras de São José da Coroa Grande e Tamandaré, CPRH, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Marinha. À tarde, mais 110 fuzileiros da Marinha chegaram para reforçar o grupo.

Primeiro voo não localizou manchas de óleo

Na manhã desta quinta-feira (17), membros do Controle de Fontes Poluidoras da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) realizaram um sobrevoo no litoral pernambucano e afirmaram não ter encontrado novas manchas de óleo.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Jornal do Commercio PE (@jc_pe) em

De acordo com Eduardo Elvino, diretor da CPRH, foi percorrido todo o Litoral Sul de Pernambuco, saindo da praia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, até o município de São José da Coroa Grande. "Podemos afirmar que hoje em Pernambuco não tem mancha de óleo. No sobrevoo que fizemos não identificamos nada, todas as prais estão limpas. Hoje, a gente pode afirmar que Pernambuco está livre dessas manchas", disse Eduardo Elvino.

Barreiras de contenção

Durante uma reunião realizada na sede da Capitania dos Portos, na área central do Recife, nessa quarta-feira (16), foi anunciado que a Marinha, a Petrobras e a Transpetro disponibilizaram barreiras de contenção e de absorção, além de mantas absorventes. Esse material poderá ser usado para isolar as manchas ainda no mar, absorver o óleo e retirá-lo das águas.

A Prefeitura de São José da Coroa Grande disponibilizará máquinas e equipamentos necessários para uma possível retirada dos resíduos do barco e posterior transporte dele para um aterro industrial. Além disso, as comunidades de pescadores da região se disponibilizaram a ajudar no monitoramento das praias.

Praias que foram afetadas em Pernambuco

De acordo com CPRH, as manchas de óleo não apareciam no litoral pernambucano desde o dia 25 de setembro, onde foi encontrado fragmentos também em São José da Coroa Grande. Segundo o Ibama, entre agosto e setembro, as manchas de óleo foram vistas em 16 praias do Estado, são elas:

•Boa Viagem - Recife - oleada/vestígios esparsos

•Praia Del Chifre - Olinda - oleada/vestígios esparsos

•Candeias - Jaboatão dos Guararapes - oleada/vestígios esparsos

•Piedade - Jaboatão dos Guararapes - oleada/vestígios esparsos

•Praias de Gamboa - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos

•Praia de Nossa Senhora do Ó - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos

•Porto de Galinhas - Ipojuca - oleada/vestígios esparsos

•São José da Coroa Grande - oleada/vestígios esparsos

•Pau Amarelo - Paulista - oleada/vestígios esparsos

•Conceição - Paulista - oleada/vestígios esparsos

•Carneiros - Tamandaré - oleada/vestígios esparsos

•Tamandaré - Tamandaré - oleada/vestígios esparsos

•Ilha Cocaia - Cabo de Santo Agostinho - oleada/vestígios esparsos

•Praia do Paiva - Cabo de Santo Agostinho - oleada/vestígios esparsos

•Praia do Forte Orange - Ilha de Itamaracá - oleada/vestígios esparsos

•Catuama - Goiana - oleada/vestígios esparsos

•Ponta de Pedras - Goiana - oleada/vestígios esparsos

Localidades afetadas

Para saber quais foram as localidades afetadas no Nordeste para clicar aqui.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias