Ocupação

Casarão Magiluth: Rua da Glória ganhará novo espaço cultural

Capitaneado pelo Grupo Magiluth, local abre dia 15 de janeiro

JC Online
JC Online
Publicado em 10/01/2020 às 19:01
Bobby Fabisak/JC Imagem
Capitaneado pelo Grupo Magiluth, local abre dia 15 de janeiro - FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O casarão de número 465 da Rua da Glória foi, de 1993 a 2014, um terreno fértil de criação e difusão de cultura e arte. Neste período, funcionou o Espaço Inácia Rapôso Meira, mantido na base do amor e da resistência pela atriz Socorro Rapôso e por onde passaram várias gerações de artistas locais. É com esse mesmo espírito aguerrido e com a intenção de agregar a classe artística e a população que o local reabre as portas nesta quarta-feira, agora batizado como Casarão Magiluth, em alusão ao grupo teatral que tomou a iniciativa de ocupar e revitalizar o amplo imóvel.

A história de parte do Grupo Magiluth com o casarão começou em 2009, quando Erivaldo Oliveira, Mário Sérgio Cabral e Pedro Wagner estagiaram no Espaço Inácia Rapôso. Mas, foi no final de 2019, quando terminaram de gravar a série Chão de Estrelas, de Hilton Lacerda, que o coletivo, formado também por Bruno Parmera, Lucas Torres e Giordano Castro, decidiu abraçar a empreitada de revitalizar o imóvel. A obra audiovisual, que deve ser exibida pelo Canal Brasil, tem como mote justamente a ocupação daquele espaço por um grupo teatral.

“Foi um processo relativamente rápido. Pouco depois de acabarem as gravações, a gente começou a conversar sobre nossos sonhos para aquele lugar. E, então, resolvemos alugar o imóvel. É uma empreitada arriscada, mas nosso desejo é que este lugar fique constantemente aberto, seja um espaço de convivência e de trocas artísticas, sociais, políticas. Queremos nos aproximar dos moradores da região, trazer as comunidades do entorno para construir junto esse sonho”, explicou Mário Sérgio.

Com cerca de 1.000 m², o casarão é um exemplar arquitetônico de um Recife que desaparece. Da rua, não se tem dimensão do tamanho das instalações. Sua estrutura pressupõe uma ocupação ampla e é essa a intenção do Magiluth. A ideia é que o local seja mais do que a base do coletivo e se transforme em um centro cultural que agregue diferentes linguagens artísticas, oficinas, eventos e iniciativas criativas.

Como o local passou muito tempo fechado, sua estrutura precisa de uma série de reparos. O Magiluth fez os aportes financeiros iniciais, mas entende o processo como sendo de longo prazo e já estuda possibilidades de engajar a população nas melhorias físicas do lugar. Outra certeza do coletivo é a diretriz de que o espaço tenha uma pauta acessível, quiçá a mais barata da cidade, ajudando a suprir um problema crônico da cidade de falta de locais para ensaio e apresentações.

“A Rua da Glória tem muitos casarões se deteriorando, sem atenção do poder público ou da iniciativa privada. Entendemos a vinda para cá como uma possibilidade de contribuir com a transformação dessa realidade, nos juntando a outros artistas que já fizeram isso anteriormente. Vamos buscar parceiros e também queremos que os artistas e a população se engajem, abracem esse espaço. Quem puder vir ajudar será muito bem-vindo”, enfatiza Erivaldo.

Além da do casarão, cuja ideia é criar espaços para produtores e para criadores que venham fazer residência artística no Recife, o local tem um espaço para apresentações teatrais e shows, uma conveniência, que será gerida por Kayor César e Daniela Teixeira, e duas salas multiuso, que poderão ser usadas para ensaios e exposições. Rafael Moura e Amanda Dias ficarão responsáveis, respectivamente, pela produção do casarão e do Magiluth. A equipe é composta ainda por Wellington Gomes na produção-executiva e Clarice Mendes na assessoria jurídica.

PROGRAMAÇÃO

A abertura do casarão, quarta-feira (15), será com show de PC Silva e Martins, às 20h. Da quinta até o domingo (19), sempre às 20h, o Magiluth encena o espetáculo Aquilo Que o Meu Olhar Guardou Pra Você. No sábado (18), Cris Malta oferece uma oficina de maquiagem para Carnaval. Dia 22, Una (Aninha Martins) faz show com Jonatas Onofre. Dias 23 e 24, o Magiluth apresenta O Canto de Gregório, e, nos dias 25 e 26, o espetáculo Luiz Lua Gonzaga. Encerrando a programação do mês, dia 29 a Banda de Pau e Corda lança o frevo Quer Mais o Quê?. Os interessados em propor pautas para o espaço podem mandar e-mail para casaraomagiluth@gmail.com.

Últimas notícias