FUTEBOL E NEGÓCIOS

Confut reúne no Recife profissionais de gestão do futebol do Nordeste

Clubes terão no Confut um espaço para exibir, debater e premiar ideias

Diego Borges
Diego Borges
Publicado em 04/11/2019 às 9:34
Notícia
Foto: Divulgação
Clubes terão no Confut um espaço para exibir, debater e premiar ideias - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Nesta semana, nos próximos dias 7 e 8 de novembro, o futuro do futebol nordestino será a pauta principal da Primeira Conferência de Futebol do Nordeste (Confut), que reunirá cerca de 40 profissionais, entre treinadores, gestores e empresários do futebol nordestino e de outras regiões em palestras, painéis de debates e estudos de casos, na busca por compartilhar práticas de gestão que possam desenvolver caminhos para o profissionalismo do esporte na região.

O evento será realizado no JCPM Trade Center, no bairro do Pina, e terá o Recife como ponto de partida para outras edições, nos demais grandes centros urbanos do Nordeste. Com isso, reunir e premiar exemplos de bons resultados aplicados ao cenário do futebol local.

"Desenvolver e olhar para o nosso mercado, com soluções para o nosso contexto. Às vezes a gente olha para fora da região e traz exemplos que nem sempre se aplicam ao nosso contexto cultural. As soluções precisam ser desenvolvidas no nosso mercado”, aponta o idealizador do projeto e diretor da Alsports, Arthur Lobo.

O Confut colabora com a visão de crescimento global de um mercado de nicho, onde cada agente encontra no fortalecimento dos ‘concorrentes’ internos um fator para aumentar o poder de barganha a nível de negociação. Um crescimento coletivo, com expertise local.

"Nos últimos anos, o Sport era referência na região, e isso serviu para puxar a profissionalização do Bahia. O Ceará também puxa a profissionalização do Fortaleza. Esse movimento cria um ambiente propício para discutir e expor, mas com soluções da nossa região", aponta Arthur Lobo, apontando o crescimento da Copa do Nordeste a partir da gestão da Liga do Nordeste, pelos clubes locais.

"Hoje a Copa do Nordeste briga com o Campeonato Paulista como principal competição no primeiro semestre do calendário brasileiro. Ela é executada pelos próprios clubes, com um poder de barganha com a CBF e outros players, como emissoras que transmitem as competições e patrocinadores, os clubes podem não apenas sentar na mesa para ver o que podem receber, mas colocar na Liga os posicionamentos em que eles também podem decidir.”

Ao mesmo tempo em que mira o desenvolvimento local, o Confut também terá estudos de casos de outras regiões do Brasil, como a filosofia de gestão aplicada pelo Atlhetico-PR, com o gestor Eduardo Barros, e o sucesso do modelo de clube-empresa da multinacional austríaca Red Bull no futebol brasileiro, com o CEO da parceria com o Bragantino, Thiago Scuro. “A gente busca exemplos em situações de fora, mas olhando para o nosso mercado”, afirma Arthur.

Para o idealizador do projeto, o Confut será uma oportunidade para que gestores possam refletir sobre práticas administrativas, sobretudo os clubes que atravessam grandes crises.

"Ao mesmo tempo que a gente vê o Nordeste despontando de forma diferenciada, também há outros tradicionais despencando em um ciclo de difícil cenário, como nos casos de Santa Cruz, América-RN e ABC. A gente vai tentar bater muito na questão estatutária e não olhar para quem está na cadeira, com a caneta na mão, mas a estrutura ampla para ter uma gestão de resultados, que a gente acredita que é fundamental para obter sucesso", completa.

INSCRIÇÕES

No site do Confut: confutnordeste.com.br/ingressos

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

DO NORDESTE E PARA O NORDESTE

"Claro que hoje se pode considerar uma ilha. Um mercado, uma região que colhe bons frutos no futebol. Hoje a gente já tem 20% dos clubes da Série A e já somos quatro clubes da região, alguns despontando com consistência pela permanência e até buscando posições maiores, como o Bahia, que vem de um processo de sucesso desde a reformulação estatutária. O próprio Ceará, também se fortalecendo em seu segundo ano na Série A, o Fortaleza consistente e o CSA brigando, além da possibilidade de acesso do Sport."

"Hoje o principal argumento de ter a conferência na região é desenvolver e olhar para o nosso mercado, com soluções para o nosso contexto. Às vezes a gente olha para fora da região e traz exemplos que nem sempre se aplicam ao nosso contexto cultural. As soluções precisam ser desenvolvidas no nosso mercado. O Confut chega num ambiente que desenvolve novas soluções, mas também vem para premiar aqueles que vêm agindo de forma diferenciada.

"Nos últimos anos, o Sport era referência na região, e isso serviu para puxar a profissionalização do Bahia. O Ceará também puxa a profissionalização do Fortaleza. Esse movimento cria um ambiente propício para discutir e expor, mas com soluções da nossa região."

EXEMPLOS DE FORA

"Essa parte de cases, a gente busca exemplos em situações de fora, mas olhando para o nosso mercado. O próprio Athletico-PR. Hoje a gente olha e às vezes nem conhece os jogadores, mas isso é fruto de um trabalho de três a quatro anos atrás. Um modelo técnico e metodológico, que vai da captação ao desenvolvimento dos jogadores, até o estabelecimento do estilo de jogo. A gente vai trazer um gestor de lá, o Eduardo Barros, para falar dessa concepção

O SUCESSO DA COPA DO NORDESTE

"Hoje a Copa do Nordeste briga com o Campeonato Paulista como principal competição no primeiro semestre do calendário brasileiro. A Copa do Nordeste foi criada por nós, aqui na região e em seu processo natural, entre alguns retrocessos e avanços, ela se estabeleceu. e feita por nós. A Liga do Nordeste é sim para ser estudada, mas não só em termos de competição, mas para fazer trabalhos pioneiros e à frente do eixo Sul-Sudeste do país."

"Apesar que a gente ainda é muito clubista na região e regionalista. Ainda temos hoje federações brigando com a Liga e com outras federações, mas já há um avanço. Existe uma união dos clubes pela Liga do Nordeste, que hoje é executada pelos próprios clubes, com um poder de barganha com a CBF e outros players, como emissoras que transmitem as competições e patrocinadores, não apenas sentar na mesa para ver o que os clubes podem receber, mas colocar na Liga os posicionamentos em que eles também podem decidir. O conceito da Liga e da competição estabelece um novo patamar para os clubes."

NORTE PARA CLUBES EM CRISE

"Ao mesmo tempo que que a gente vê o Nordeste despontando de forma diferenciada, a gente também vê outros tradicionais despencando em um ciclo de difícil cenário, como no caso do Santa Cruz, América-RN e ABC. A gente vai tentar bater muito na questão estatutária. Não olhar para quem está na cadeira, com a caneta na mão, mas a estrutura ampla de gestão. A reforma estatutária, a profissionalização e a criação de setores de regulação e direção, que a gente acredita que é fundamental para obter sucesso."

"A gente entende debater que a gestão estatutária é muito mais importante do que debater a imagem do gestor A, B ou C. Vamos usar o próprio Bahia como modelo em debate, e as mudanças que foram implementadas pelo clube. são atitudes que a gente acha que são prioritárias para a profissionalização e o desenvolvimento do nosso futebol."

MODELO CLUBE-EMPRESA

"A gente vai ter um dos painéis voltado para o direito esportivo. Nele, teremos uma palestra para abordar essa novas regulamentações, o que jé possível e o que não pode ser feito hoje. É um ambiente propício para discutir e entender os gargalos prós e contras que vêm com esse modelo. O Brasil está engatinhando ainda."

"Temos vários problemas e variáveis que precisam ser discutidos para ser adotado como novo mecanismo. Associados dos clubes, passivos, não só trabalhistas mas fiscais também, o estatuto dos clubes. Estamos engatinhando e tem muita ideia surgindo, muita novidade, mas é um tema que precisa ser bem discutido e bem debatido, não só no Confut.

"Teremos a presença do Thiago Scuro, que é diretor executivo do Red Bull Brasil desde antes mesmo da aquisição do Bragantino, e vai falar sobre o case que hoje é o melhor exemplo de clube-empresa no Brasil.

A IMPORTÂNCIA DA PROFISSIONALIZAÇÃO

"Até que ponto a profissionalização e o direcionamento a uma coordenação administrativa é interessante para os clube e quem está nos clubes? Será que eu com a caneta na cadeira tenho interesse de profissionalizar uma gestão de uma instituição que fatura de R$ 60 a R$ 80 milhões por ano? Até que ponto vale a pena mexer no estatuto e trazer profissionais para o meu lado?"

"A gente fala muito em profissionalização, em gestão, em trazer profissionais. Hoje o próprio licenciamento já exige que setores dos clubes tenham profissionais. Cerca de 70% das empresas no Brasil não têm esse tipo de faturamento. Se você não tem uma gestão de resultados, você está fadado ao fracasso.

"É nisso que a gente está batendo e vai brigar. Inclusive, no primeiro painel de governança, a gente traz esse processo, onde o Marcelo Sant'Anna (ex-presidente do Bahia) se torna exemplo por ter tomado a decisão de remunerar a ele mesmo na figura de presidente executivo. Isso provocou críticas de 'como o cara vai ser presidente e vai ganhar dinheiro?' Mas e o tamanho do peso de ter na mão a responsabilidade de gerenciar R$ 120 ou 180 milhões?"

PROGRAMAÇÃO CONFUT 2019

Quinta-feira 07/11

08h50 - Abertura

09h00 - Palestra - Governança e Compliance / Reforma Estatutária

09h40 - Rodada de Debates - Planejamento estratégico / Ambiente instável / Regulação estatutária / Gestão esportiva

11h10 - Palestra - As exigências e oportunidades do cenário financeiro

13h00 - Intervalo para almoço

14h30 - Case 1 - Red Bull / Bragantino

15h20 - Palestra - Atualidades sobre o mercado internacional de transferências e regulamentos da FIFA

16h10 - Coffe break

16h40 - Palestra - Novas Estruturações jurídicas: o que depende de alteração legislativa e o que já é possível fazer

17:35 - Rodada de Debates - Rodadas de Debate: Reestruturação Jurídica/ Endividamento dos Clubes / Recuperação Judicial para Clubes/ Tendências de Mercado/ Câmara Nacional e Internacional

18:25 - Case 2 - Copa do Nordeste Liga do Nordeste

Sexta-feira 08/11

08h00 - Exposição

08h50 - Abertura

09h00 - Palestra - Futebol Como Produto de Entretenimento

09h40 - Rodada de Debates - Match Day / Ativações / Sócio Torcedor / Marca Própria / Arenas / Internacionalização / Experiência de Consumo

10h55 - CASE 3 - Marca Própria / Bomache

11h30 - Palestra - Gestão do Futebol Profissional

12h20 - Rodada de Debates - Formação de Grupo / Construção do ambiente / Departamentalização do Futebol / Estrutura x Resultado/ Gestão de Cristes / Aspectos técnicos x estatutários

13h00 - Almoço

14h30 - CASE 4- Desenvolvimento Técnico Metodológico - Athletico-PR

15h20 - Palestra - Gestão de Pessoas e Estrutura de Apoio ao Processo de Formação

16h10 - Coffe Break

16h40 - Rodada de Debates - Processo de Formação Além dos Aspectos Técnicos / Coordenaçã de Campo / Equipe Multifuncional / Análise de Mercado / Estrutura x Resultado

17h35 - CASE 5- Streaming e a mudança no consumo de conteúdo

18h30 - Premiações

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias