SÉRIE B

Náutico em busca de maior regularidade nos 90 minutos

Timbu estaria no G-4 se contasse apenas os resultados do 1º tempo

Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 18/08/2016 às 9:57
Foto: JC Imagem
Timbu estaria no G-4 se contasse apenas os resultados do 1º tempo - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Se quiser entrar de vez no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, o Náutico vai ter um desempenho melhor nos segundos tempos das partidas do returno. Das sete derrotas que o Timbu teve no primeiro turno da competição, cinco ocorreram na segunda etapa dos jogos. Dos 23 gols sofridos pelos alvirrubros, 14 gols ocorreram nos 45 minutos, sinal que a equipe do técnico Alexandre Gallo precisar ser mais regular durante as partidas.

Se fosse levar em consideração somente os resultados do primeiro tempo, o Náutico estaria no G-4 da Série B, em terceiro. Teria uma vitória a menos, mas só teria perdido apenas duas na competição. Algo bem diferente das sete derrotas que possui no campeonato.

“A gente precisa fazer redobrado no segundo turno e beliscar pontos fora. É uma meta difícil, mas impossível. Respeitando claro os adversários. Se quer subir tem que fazer esses pontos. Este é o ano do Náutico subir”, disse o volante João Ananias, ontem, no centro de treinamento.

Contra o Criciúma, adversário deste sábado, o Timbu sofreu com esse desempenho no segundo tempo. O gol da derrota fora de casa na estreia do primeiro turno ocorreu na segunda etapa, algo que os alvirrubros não querem repetir na Arena Pernambuco.

“Jogando dentro de casa a obrigação de vencer é maior. A gente sabe da qualidade do Criciúma, mas é tirar os erros para sair com os três pontos no sábado”, disse o meia Renan Oliveira.

Para evitar resultados indesejáveis e para manter a regularidade durante os 90 minutos das partidas, o Náutico aposta na intertemporada de duas semanas provocadas pelos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias