série c

A orquestra do Náutico já está pronta

O Timbu recebe o Paysandu pela partida de volta das quartas da Série C, valendo vaga na Segunda Divisão

Karoline Albuquerque
Karoline Albuquerque
Publicado em 07/09/2019 às 7:22
Foto: Léo Lemos/Náutico
O Timbu recebe o Paysandu pela partida de volta das quartas da Série C, valendo vaga na Segunda Divisão - FOTO: Foto: Léo Lemos/Náutico
Leitura:

Se as prévias de Carnaval começam a acontecer neste fim de semana para a ansiedade do folião pernambucano, os torcedores alvirrubros estão mais preocupados com o som do Come e Dorme, de Nelson Ferreira, longe das ladeiras de Olinda. Amanhã, o Náutico encara o Paysandu, no estádio dos Aflitos, valendo o tão sonhado, dormindo ou acordado, acesso e retorno à Série B do Campeonato Brasileiro. Bem alerta, o técnico Gilmar Dal Pozzo pelo menos já tem o que comemorar. Ele terá em mãos o elenco quase completo para a disputa.

Apenas Paulinho e Rhaldney estão fora do jogo de volta das quartas de final da Série C, na transição física. “A gente comemora muito esse momento, de 29 atletas, 27 estão em condição de jogo. Temos o nosso modelo de jogo, trabalhamos há quase quatro meses e não seria nesse momento que a gente iria fazer uma mudança brusca”, disse Dal Pozzo.

Apesar da vontade de manter o mesmo ritmo dos pés, talvez o frevo do Náutico precise mudar um pouco para o jogo decisivo. O técnico alvirrubro admite a possibilidade de alterar funções ou posicionamentos por causa do Papão da Curuzu. Por enquanto, a orquestra que deve ser titular é composta por Jefferson; Hereda, Diego Silva, Camutanga e Wilian Simões; Josa, Jiménez e Jean Carlos; Matheus Carvalho, Thiago e Rafael Oliveira. Jhonnatan e Wallace Pernambucano são opções para as vagas de Matheus Carvalho e Rafael Oliveira, respectivamente.

Para a execução de dobradiças, tesouras ou parafusos, o meia Jean Carlos pode ter uma chance de ser o maestro da coroação do Timbu. “É um jogador que tem uma característica diferente e única no plantel, tem uma qualidade de passe, boa finalização de média e longa distância, tem a bola parada, é um atleta que já nos ajudou e está pronto para nos ajudar”, garantiu o técnico.

Outra confirmação do treinador no time que busca comemorar como carnaval é o lateral-esquerdo Wilian Simões. Após uma pancada no joelho, o jogador treinou normalmente na quinta-feira (5/9) e não se queixou de dores. Já o atacante Rafael Oliveira é uma dúvida. Ele chegou a treinar após oito dias parado, fazendo trabalhos na academia e transição. Se não apresentar queixas, ele entra em campo.

Com isso definido, o momento, que acompanha o time nesta semana que passou, é de diminuir o volume de trabalho e pontuar, conversando com jogadores, desafiando alguns e ajudando outros a diminuir a ansiedade. “É muito individual e da personalidade de cada atleta. Tem alguns que você dá colo e outros que você faz a cobrança mais forte em termos de desafio por conta da personalidade. É isso que estamos fazendo para deixar eles preparados e encontrar esse ponto de equilíbrio que é essa parte mental que vai exigir do jogo”, concluiu.

Dada a ansiedade, quem é que consegue comer ou dormir, além da composição de Nelson Ferreira?

Últimas notícias