Tricolor

Santa Cruz: estratégias do marketing para incrementar receita em 2020

Departamento comandado por Guilherme Leite trabalha em projeto de expansão das lojas Cobra Coral e no controle de produtos licenciados

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 28/11/2019 às 7:30
Twitter/Reprodução
Departamento comandado por Guilherme Leite trabalha em projeto de expansão das lojas Cobra Coral e no controle de produtos licenciados - FOTO: Twitter/Reprodução
Leitura:

Enquanto não anuncia o patrocinador master de 2020, o Santa Cruz se cerca de cuidados para garantir o máximo de receitas ao clube na próxima temporada. Neste projeto, o departamento de marketing do clube coral trabalha em duas grandes frentes. Uma delas é o plano de expansão das lojas Cobra Coral. A outra é o controle e aumento sobre as licenças de produtos vendidos com a marca Santa Cruz.

O vice-presidente de marketing do tricolor pernambucano, Guilherme Leite, destacou que as lojas Cobra Coral já estão em Jaboatão dos Guararapes, na Zona Norte, em Olinda, restando agora uma unidade mais próxima da Zona Sul para, então, ter início o projeto de interiorização da marca.

“Na realidade, essa expansão tem vários objetivos: aproximar a marca do torcedor do interior do Estado, ter um ponto de auxílio a esse torcedor, para comprar ingressos, para se tornar sócio, além da internet. E a gente sabe que tem muito torcedor que gosta de estar visitando as lojas e ver produtos. Então, para todos os perfis de torcedor, a marca Cobra Coral está pensando e projetando esta expansão, assim que houver viabilidade financeira”, completou Guilherme.

O potencial das lojas para incrementar a receita do clube é observado pelo gestor justamente pelo movimento que o torcedor faz nos momentos importantes para o time. “Sempre quando tem grandes jogos e proximidade de estreias, clássicos e jogos mais decisivos as lojas acompanham essa procura que os torcedores têm por ingressos, acompanham esse crescimento. Então, a gente acredita que esta expansão tende a melhorar a entrada de recursos através da marca própria que é um dos grande objetivos do clube para o ano que vem também”, afirmou.

PRODUTOS LICENCIADOS

No que diz respeito aos produtos licenciados, Guilherme revela que o Santa Cruz só começa a ter uma noção real do retorno que esses itens pode trazer ao clube agora. De acordo com o gestor, quando a atual cúpula coral assumiu, muitos produtos estavam com o contrato vencido. Outros explorando o símbolo do Santa Cruz sem o devido controle.

“Então, a gente contratou uma empresa especialista em produtos licenciados, que faz toda a gestão desses contratos, a fiscalização também. Periodicamente e praticamente todas as semanas, chegam produtos para serem aprovados, parceiros do clube que se tornam licenciados da marca. A gente faz esse controle por meio do sistema. Estes produtos chegam para o marketing, após a aprovação, as empresas são autorizadas a produzir e cabe à venda de cada produto do santa Cruz a comissão repassada ao clube de acordo com o valor de cada produto”, explicou Guilherme.

O Santa Cruz conta com 27 empresas parceiras e a meta do departamento de marketing, por meio da empresa contratada para o trabalho de licenciamento de produtos, é aumentar este número. No que diz respeito aos itens licenciados, cada parceiro detém uma média mínima de quatro a cinco. “Então, na situação em que o Santa Cruz se encontra, de dívidas, de tudo, toda arrecadação que entra para o clube através do departamento de marketing, de sócios ou de cotas de TV, todos esses recursos, são importantes para o clube pagar contas e as dívidas”, concluiu Guilherme Leite.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias