Leão

Sport diz que banirá torcedores que participaram de ato de violência na festa de aniversário do Santa Cruz

Membros da principal uniformizada do Sport causaram confusão, tumulto e correria na comemoração dos torcedores do Santa Cruz

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 03/02/2020 às 22:57
Notícia
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Por meio de nota oficial, o Sport repudiou as cenas de violências que ocorreram na festa de comemoração do Santa Cruz nesta segunda-feira. Os torcedores tricolores estavam comemorando o aniversário do clube, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife, e foram surpreendidos por membros da principal organizada do Leão. Várias pessoas ficaram feridas, houve pânico e correria.

>> Confira o especial Dossiê: organizadas

>> Em perfil de uniformizada do Santa Cruz, torcedores falam em 'revide' contra organizada do Sport

>> Organizada do Sport diz que 'não compactua' com ataque no aniversário do Santa Cruz

Na manhã desta quarta-feira (4), a Polícia Militar esclareceu que foi "surpreendida" pelo tumulto e que dispersaram os agressores e patrulharam a vizinhança logo após a confusão. A corporação ainda disse que "dois dos agressores ficaram machucados e acabaram detidos, mas foram liberados porque ninguém quis representar contra eles".

"O Sport Club do Recife repudia completamente todo e qualquer ato de violência, principalmente o que foi visto na comemoração do aniversário do Santa Cruz, no Centro do Recife, nesta segunda-feira. O clube se solidariza com todos os torcedores tricolores", publicou o clube.

>> Torcida Organizada do Sport provoca tumulto em festa de aniversário do Santa Cruz

A direção do Sport ainda prometeu acionar os órgãos responsáveis para proibir a entrada nos estádios e no clube dos leoninos envolvidos.  "(O clube) vai procurar as autoridades do Estado e o Ministério Público no intuir de averiguar todos os procedimentos para banimento dos participantes do ocorrido no estádio e em qualquer dependência do clube", completou.

Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
- Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

SANTA CRUZ

Antes do Sport, o Santa Cruz também utilizou as redes sociais para se pronunciar sobre o caso. "Era o momento da nossa torcida, no aniversário do clube, no pátio, local onde tudo começou. Repudiamos o ato de violência e covardia que ocorreu e exigimos das autoridades punição aos responsáveis das agressões contra famílias, crianças e todos que estavam em uma celebração. Isso não é futebol", escreveu.

"Os torcedores, principalmente as crianças, que estavam no pátio hoje serão abraçados pelo clube. Quem estava lá e/ou que conhece os pais, por favor comenta aqui marcando. Sobre as cobranças nosso jurídico tomará as medidas cabíveis", disse o diretor de marketing do Santa Cruz, Guilherme Leite, na conta pessoal no Twitter.

POLÍCIA MILITAR

"A Polícia Militar esclarece que estava fazendo o patrulhamento na festa do aniversário do Santa Cruz, no Largo do mesmo nome, quando foi, juntamente com os participantes, surpreendida pela invasão de um grupo com cerca de 80 pessoas, supostamente integrantes de uma das chamadas “torcidas organizadas” do Sport. Eles chegaram de forma bastante agressiva, usando pedras, paus e garrafas para atingir os torcedores que festejavam. De imediato, os policiais, que estavam posicionados em frente à igreja, partiram para cima na tentativa de contê-los. Ao mesmo tempo, tricolores também decidiram resistir aos invasores e teve início uma briga generalizada. A ação da PM, no entanto, evitou que o pior acontecesse, dispersando os agressores. Dois deles ficaram machucados e acabaram detidos, mas foram liberados porque ninguém quis representar contra eles. Policiais com motos patrulharam a vizinhança para evitar nova aglomeração. Com o fim da confusão, a festa foi reiniciada, só se encerrando às 22h, por determinação dos policiais. Populares que estavam na festa e seus organizadores agradeceram a pronta intervenção dos PMs, admitindo que sem ela poderia ter acontecido uma tragédia no local."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias