Conflito

Assad é parte da solução na Síria, afirma enviado da ONU

Maioria dos habitantes dos bairros rebeldes de Aleppo, no norte da Síria, são favoráveis à interrupção dos combates

Da AFP
Da AFP
Publicado em 13/02/2015 às 11:18
Foto: AFP
Maioria dos habitantes dos bairros rebeldes de Aleppo, no norte da Síria, são favoráveis à interrupção dos combates - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O presidente Bashar al-Assad "é parte da solução" na Síria, considerou nesta sexta-feira o mediador da ONU Staffan de Mistura, após quatro anos de combates que beneficiaram sobretudo o grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

"O presidente Assad é parte da solução" e "seguirei discutindo temas importantes com ele", afirmou o enviado especial da ONU para a Síria, que acaba de realizar uma visita de 48 horas a Damasco.

De Mistura, que fez s declarações em um encontro em Viena com o chefe da diplomacia austríaca, Sebastian Kurz, deve apresentar em 17 de fevereiro ao Conselho de Segurança da ONU um relatório para deter a guerra civil na Síria.

O enviado reiterou sua convicção de que "a única solução é uma solução política" e que, na falta de um acordo, "o único que se beneficia da situação" é o EI, um "monstro que espera que o conflito continue para tirar vantagem".

Kurz, por sua vez, indicou que "no combate ao EI pode ser necessário lutar do mesmo lado que Damasco", embora "Assad nunca será um amigo, nem mesmo um sócio".

Segundo uma pesquisa publicada na quinta-feira, a maioria dos habitantes dos bairros rebeldes de Aleppo, no norte da Síria, são favoráveis à interrupção dos combates proposta por De Mistura, mas duvidam de seu cumprimento.

No mesmo dia, o exército sírio voltava a bombardear posições rebeldes nas Colinas de Golã, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Em quatro anos, a guerra civil na Síria deixou 220.000 mortos, um milhão de feridos e quatro milhões de deslocados e refugiados, sem uma vitória militar à vista de nenhum dos grupos em combate, lembrou De Mistura.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias