#PrayforOrlando

Líder muçulmano dos EUA condena massacre de Orlando

Líder muçulmano pediu aos políticos que não "explorem" o ataque à boate Pulse

Marcelo Pereira
Marcelo Pereira
Publicado em 12/06/2016 às 23:44
AFP
Líder muçulmano pediu aos políticos que não "explorem" o ataque à boate Pulse - FOTO: AFP
Leitura:

 WASHINGTON - O diretor-executivo do renomado Conselho de Relações Islâmico-Americanas, Nihad Awad, condenou neste domingo o massacre de Orlando e classificou de "aberração" os membros do grupo Estado Islâmico (EI). Awad também pediu aos políticos que não "explorem" o ataque à boate Pulse, que deixou 50 mortos e 53 feridos.

"Esse é um crime de ódio. Pura e simplesmente. Vamos condená-lo nos termos mais enérgicos", disse Awad em entrevista coletiva. "Isso viola nossos princípios como americanos e como muçulmanos. Deixem que eu seja claro: não temos tolerância com qualquer tipo de extremismo", frisou.

"Não nos representam", insistiu Awad, referindo-se aos extremistas. "São uma aberração, são uns bandidos (...) Eles não falam por nossa fé. Nunca pertenceram à nossa bonita fé", sentenciou.

Com a campanha eleitoral a todo vapor nos EUA, Awad afirmou que aqueles que cometem ataques como os de Orlando "tentam nos dividir" e pediu calma aos políticos.

"Àqueles políticos que poderão tentar explorar essa tragédia nós lhes pedimos que respeitem as vítimas e suas famílias. Não é hora de marcar pontos. É hora de unidade e fé", defendeu.


Últimas notícias