XENOFOBIA

Estudante recifense denuncia agressão por xenofobia em Portugal

Iran Barbosa ,24, cresceu no País e cursa mestrado em uma universidade portuguesa; caso foi denunciado pela mãe nas redes sociais

JC Online
JC Online
Publicado em 28/02/2017 às 19:59
Foto: Reprodução/Facebook
Iran Barbosa ,24, cresceu no País e cursa mestrado em uma universidade portuguesa; caso foi denunciado pela mãe nas redes sociais - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

A advogada recifense Micheline Noêmia contou em seu perfil no Facebook que o filho dela, Iran Barbosa, 23, foi vítima de um ataque xenofóbico em Covilhã, Portugal. Segundo a publicação, o estudante foi chamado de 'brazuca' e atingido por vários golpes, principalmente no rosto. O episódio ocorreu na madrugada desta terça-feira (28).

"Xenofobia!!!! Meu filho, Iran Barbosa foi vítima de xenofobia, dois portugueses o atacaram quando chegava em casa, sozinho, esta madrugada", relatou.

Em entrevista ao JC, a advogada contou que apesar de melhor fisicamente e mais calmo, Iran ainda está com algumas partes do rosto machucadas e dificuldades para se alimentar. O estudante cresceu em Lisboa, capital portuguesa, e em 2007 voltou com a família ao Recife. Há um ano e cinco meses, ele foi aprovado para cursar um mestrado em Design e Desenvolvimento de Jogos em uma instituição no País. Segundo Micheline, o jovem ainda não procurou os órgãos competentes para denunciar o caso, e nem pensa em retornar. 

"Foi hoje de madrugada e ele disse que queria apenas dormir. Falta pouco para ele terminar o mestrado, meu filho está lá há um ano e cinco meses, cresceu em Lisboa", relatou. 

Racismo

A mãe do estudante afirma também que não há dúvidas de que o ataque também foi racista. 

"Simplesmente por sua cor de pele, cabelo cacheado amarrado, usar brincos. Infelizmente, é algo estrutural e presente na nossa sociedade. Sobretudo, com os latinos e brasileiros. Optamos por tornar pública essa denúncia para que outras pessoas também não sejam vítimas destas agressões", afirmou. 

A advogada ressalta que a xenofobia é um crime recorrente em outros países, especialmente contra brasileiros. Apesar disso, o assunto ainda é pouco debatido no Brasil.

"Ele é um rapaz muito bom e não está com raiva, nem revolta. Por isso, pedi a ele pra divulgar e ajudar outras pessoas, inclusive. Quando divulguei o que aconteceu, realmente foi com a intenção que se fale sobre isso, pois em todos os países estão aparecendo cada vez mais casos como estes, agressão gratuita. Na Europa, nos EUA, esse é um assunto em pauta", disse ela. 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias