MEIO AMBIENTE

Unilever reduzirá pela metade o uso de plásticos novos

"O plástico tem seu lugar, mas esse lugar não é no meio ambiente'', afirmou o diretor da Unilever

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 07/10/2019 às 21:23
Notícia
Foto: Pixabay
"O plástico tem seu lugar, mas esse lugar não é no meio ambiente'', afirmou o diretor da Unilever - FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

A gigante comercial anglo-holandesa Unilever disse nesta segunda-feira (7) que reduzirá o uso de plásticos novos pela metade até 2025, admitindo que a decisão foi tomada parcialmente para atrair clientes jovens e mais preocupados com o meio ambiente.  A empresa, dona de marcas como Dove (sabonete) e Ben and Jerry's (sorvete), reduzirá o uso anual das atuais 700.000 toneladas para não mais de 350.000 toneladas.

No limite

A medida chega em um momento em que empresas multinacionais enfrentam crescente pressão para reduzir o uso de plásticos que poluem a terra e o mar. 

"O plástico tem seu lugar, mas esse lugar não é no meio ambiente. Só podemos eliminar o desperdício de plástico agindo com rapidez e adotando ações radicais em todos os pontos do ciclo do plástico", afirmou o presidente-executivo da Unilever, Alan Jope, em comunicado. 

Mas Jope disse à BBC que a empresa - cujas 400 marcas também incluem Knorr, chá Lipton e sorvetes Magnum - também está tentando permanecer "relevante".

"Acreditamos em tentar permanecer relevantes para grupos mais jovens de consumidores, e sabemos que a geração Y e a geração Z, a próxima onda, realmente se preocupam com o propósito e a sustentabilidade, e com a conduta das empresas e das marcas que estão comprando", disse à emissora. 

Das 350.000 toneladas de "plástico virgem" que a Unilever cortará, ela afirmou que 100.000 toneladas virão de uma redução total no uso de embalagens plásticas, por exemplo, fabricando embalagens reutilizáveis, usando embalagens alternativas ou "produtos nus" que não usam nenhuma embalagem. As outras 250.000 toneladas da redução virão do uso de plásticos reciclados.

A empresa disse que também "ajudará a coletar e processar mais embalagens plásticas do que vende".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias